A CISTITE UM MAL QUE TEM QUE ACOMENTE MILHARES DE MULHERES EM QUALQUER FAIXA ETÁ

há 1 ano     -     
A CISTITE UM MAL QUE TEM QUE ACOMENTE MILHARES DE MULHERES EM QUALQUER FAIXA ETÁ

 

Geralda Aparecida Marciel Lopategui Rique* e Edicássia Rodrigues de Morais Cardoso**

 

* Acadêmica de enfermagem da FESGO e integrante da LASM-FESGO

** Docente do curso de enfermagem e coordenadora da LASM

 

 

A infecção do trato urinário (ITU) é uma das causas mais comuns de infecção na população geral mais prevalente no sexo feminino. A cistite pode ser classificada quanto à localização em mais baixa, ou seja, é uma infecção que acomete a bexiga, já pielonefrite como infecção alta, por se uma infecção das vias urinárias superiores, que envolve os rins, normalmente causada por bactérias que migram até eles, vindas da bexiga.

Vários fatores podem causar a cistite dentre eles,o sexo feminino, pois,anatomicamente a vagina e a entrada da uretra feminina ficam muito próximas ao ânus, favorecendo as bactérias a alcançarem a bexiga. Dentre as causas da cistite, a higiene após a s evacuações, é apontada com a vilã dentre essa infecção.

Cistite conhecida porinflamação da bexiga, e uma infecção do trato urinário causado por microrganismos patogênicos (bactérias) que acometem o trato urinário inferior, que em 80% dos casos tem uma bactéria a ESCHERIA COLI outras bactérias do trato intestinal como PROTEUS, MIRABILIS e KLEIBISIELLA PNEMONIAE que ao conseguir colonizar a região ao redor da vagina facilmente penetra a uretra e alcança a bexiga.

Durante a vida, 10 a 20% das mulheres adultas apresentarão pelo menos um episódio de cistite. É 10 a 20 vezes mais comum na mulher que no homem, pelo fato de a uretra feminina ser mais curta, aproximadamente de 4 cm, tornando mais fácil a “subida” das bactérias para a bexiga.

Fatores como atividade sexual podem contribuir para o aparecimento da cistite, o movimento causado pela fricção do pênis na parede anterior da vagina pode favorecer a migração de bactérias da uretra para a bexiga, levando a um quadro conhecido como “cistite de lua-de-mel”. Este quadro ocorre mais frequentemente no início da atividade sexual, em mulheres com pouca atividade, após as relações, e em algumas após toda relação sexual.

-----Gostando do caso? Discuta com a gente nos comentários!---- 

Outra causa de cistite é o “refluxo uretrovesical”, situação em que a urina volta para a bexiga depois de ter percorrido uma parte da uretra (onde há bactérias).

Na gravidez, alterações na pelve, hormonais e imunológicas levam mulheres grávidas a terem maior predisposição à infecção do que uma mulher não grávida. Apesar de urinar com mais frequência, elas não conseguem esvaziar a bexiga totalmente, essa urina residual pode favorecer um crescimento de bactérias, aumentando o risco de cistite.

A cistite não tratada na gravidez, pode trazer complicações, tanto para a mãe, quanto para o feto, pode desencadear um parto prematuro se não tratar. A mulher gravida deverá fazer uso de calcinhas de algodão, evitar uso de meias de compressão inteiras, deve ter preferência pelas de 3/4.E ter uma boa higienização após evacuações, e ingerir no mínimo dois litros de água por dia, e qualquer sinal de dor ao urinar procurar um profissional de saúde que atenda ao pré-natal, para fazer um exame de urina simples e se necessário uma cultura com antibiograma.

A menina antes de menstruar possui na vagina bem menos bactérias que a mulher adulta, portanto tem menos defesa para a cistite. As crianças também pela dificuldade em higienizar após as evacuações.

A mãe deve estar atenta a qualquer sinal de corrimento na calcinha, pois pode indicar uma infecção urinaria ou algum abuso em relação à criança e até mesmo a introdução de objetos na vagina, pela própria criança. O sintoma às vezes pode ser somente parecido com uma gripe até sangramento ao urinar.

Com a perda de hormônios pela mulher na menopausa a vagina, uretra e a bexiga perdem proteção, a acidez do PH muda facilitando a proliferação de bactérias ficando ainda maisvulnerável a cistite e outras infecções do trato urinário

Aproximadamente 20 % das mulheres apresentam nova infecção após a primeira. Neste caso, deve ser feita uma consulta com um especialista para verificar o motivo. Deve ser descartada a presença de cálculo renal, malformações do trato urinário, infecções vaginais, falha do tratamento anterior, métodos anticoncepcionais com espermicidas, menopausa, corpos estranhos na bexiga, entre outros.

Cistite não significa ter somente os maus hábitos de higiene, pode ter outras causas. O ideal é manter uma boa higiene, dando atenção a limpeza após as evacuações se possível lavar com agua e sabão, se fizer uso de papel higiênico que seja sempre de frente para traz evitando contato das fezes com a vagina. Nunca realize ducha vaginal (procedimento que empurra as bactérias em direção à bexiga). Urinar e fazer uma boa higienização antes e após relação sexual, o coito favorece a entrada de bactérias na uretra e o ato de urinar ajuda à expulsa-las.

Beber bastante agua, higiene adequada,manter os exames do ginecologista em dia, agendando pelo menos uma vez ao ano para um controle, o enfermeiro está autorizado a fazer o exame de prevenção, ou seja, a citologia oncoparasitária, como o autoexamedas mamas. Caso necessário a mulher é encaminhada ao ginecologista para uma avaliação mais precisa.

Usar sabonetes neutros para não alterar o PH vaginal, evitar sabonetes e desodorantes íntimos perfumados. Evitar o uso de roupas intimas apertadas, e de preferência a calcinhas de tecido de algodão.

Durante as relações sexuais, veja se o órgão se encontra lubrificado, caso não esteja, use um lubrificante. Mulheres na menopausa, diminuem a lubrificação da vagina, principalmente quando não fazem reposição hormonal, pois muitas vezes é contraindicada essa reposição, principalmente nas mulheres que tem histórico de câncer na família.

A Qualidade de Vida com diminuição do estresse, exercícios físicos, como caminhada (3 vezes na semana), uma alimentação balanceada, rica em frutas e verduras, tudo isso ajudará e muito a melhorar a imunidade da mulher e evitar doenças como as infeções urinárias.

 

Quando a mulher se encontra com cistite, o tratamento é o uso do antibiótico que deverá ser prescrito pelo médico. No caso de gestantes, o medicamento tem que ser avaliado pelo Obstetra, para não causar malefícios ao feto.

  • 18 Publicações