A Morte Encefálica

há 1 ano     -     
A Morte Encefálica

A morte encefálica (ME) é a definição legal da morte. Esse tópico merece uma atenção especial, uma vez que ainda causa muitas dúvidas na população. O fato de haver uma constatação de morte mesmo com o paciente possuindo função cardíaca preservada e respirando com ajuda de ventilação mecânica provoca em muitos casos uma falha de compreensão de que o ente querido realmente faleceu. Entretanto, a equipe de saúde exerce inúmeros testes minuciosos que irão procurar qualquer vestígio de função do tronco encefálico e, caso não seja encontrado nenhum, o diagnóstico de ME está definido.

Ela deve ser entendida como a “morte baseada na ausência de todas as funções neurológicas”, ou seja, se trata da perda completa e irreversível das funções cerebrais. A ME pode ter como causa uma lesão grave ao encéfalo, como pode ocorrer em casos de acidentes vasculares encefálicos (AVE), que faz com que o órgão não seja nutrido de forma adequada e acabe morrendo.

Tendo sido declarada a ME, a equipe de profissionais da saúde irá conversar com a família do paciente sobre as decisões a serem tomadas a partir daquele momento. Dentre essas decisões, uma delas é o desligamento do ventilador e a outra seria a doação dos órgãos e/ou tecidos, caso o paciente não possua contraindicações.

Apesar de ser um assunto delicado, o conhecimento a respeito da ME é de suma importância, de modo que a família que perca seu ente querido de tal forma possua todas as informações necessárias para a tomada de decisões a respeito de uma possível doação de órgãos, o que é extremamente difícil.

 VEJA TAMBÉM

Caso Clínico - Câncer gástrico

Caso Clínico de Derrame Pleural

Arritmias Cardíacas: mitos e verdades

  • 4 Publicações