Aneurisma de Aorta Torácica

há 1 ano     -     
Aneurisma de Aorta Torácica

Um homem de 61 anos, casado, natural de Itaúna, Minas Gerais, procurou o serviço primário da saúde, devido a queixas de tosse, rouquidão e dispnéia, principalmente após a realização de exercícios físicos. O paciente é portador de hipertensão, e na sua anamnese, constatou-se que sua dieta era rica em alimentos gordurosos. Ao exame físico não se constatou achados significativos. Solicitou-se então um exame de Raio X do tórax.

O exame revelou uma grande massa mediastinal, sugerindo os possíveis diagnósticos: linfoma, tuberculose, aneurisma da aorta, timoma e tumor neurogênico. A fim de realizar um diagnóstico diferencial, foi solicitado a princípio uma Tomografia Computadorizada (TC) e um exame de coleta de escarro (BAAR). O exame da coleta de escarro deu negativo para o BAAR. Já a TC apresentou o seguinte resultado:

Constatando a presença de um aneurisma da aorta, como pode ser visto pela massa mais hipodensa junto ao segmento ascendente da artéria aorta torácica.

O paciente foi encaminhado para o serviço de cardiologia, no qual o médico avaliou o diâmetro do aneurisma em 4,0cm, tamanho este em que a indicação cirúrgica não é realizada. Somente após diâmetros maiores do que 6cm, crescimento de 0,5 ou mais centímetros a cada 6 meses, aneurismas assintomáticos maiores que 5cm, pois o risco de mortalidade é pequeno no procedimento, e em casos sintomáticos relacionados ao aneurisma, que a indicação cirúrgica é realizada. Neste caso, mesmo o paciente apresentando sintomas, o cardiologista preferiu promover um acompanhamento com medicamentos para controlar a hipercolesterolemia e a hipertensão, além de uma dieta menos calórica e gordurosa, aliada à manutenção de exercícios aeróbicos, evitando os anaeróbicos. Pediu-se que o paciente faça retornos regulares a fim de realizar novos exames e verificar como estará a progressão do aneurisma.

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento do aneurisma de aorta são a hipertensão, o tabagismo e a hipercolesterolemia. Podendo em alguns casos ter origem genética, por traumatismos, infecções e acometimento da válvula bicúspide. A incidência anual de Aneurisma de Aorta Torácica é estimada em 7,5 casos por 100.000 pacientes?ano, sendo prevalente em pessoas com mais de 50 anos de idade e, geralmente, do sexo masculino.

Os sintomas do aneurimas de aorta torácica podem ser dor torácica, febre, dispneia, rouquidão e tosse. Entretanto, esse quadro clínico tende a ser, geralmente, silencioso, e por isso o seu grave risco, visto que esse aneurisma pode sofrer uma ruptura e com isso levar o paciente ao óbito, necessitando da sua identificação o mais precocemente possível a fim de possibilitar um acompanhamento adequado, e, caso necessário, utilizar o procedimento cirúrgico.

Referências:

Risk of Rupture or Dissection in Descending Thoracic Aortic Aneurysm; Joon Bum Kim, Kibeom Kim, Mark E. Lindsay, Thomas MacGillivray, Eric M. Isselbacher, Richard P. Cambria and Thoralf M. Sundt; Circulation. 2015;132:1620-1629, originally published September 2, 2015. https://doi.org/10.1161/CIRCULATIONAHA.114.015177

Epidemiology, risk factors, pathogenesis and natural history of thoracic aortic aneurysm; Woo, Y.J.; Mohler, E.R.; Black, J.H.; Greeme, C.L.; UpToDate. 2017

http://www.fisfar.ufc.br/petmedicina/index.php?option=com_content&task=view&id=180&ItItem=65

http://www.medicinanet.com.br/conteudos/casos/1560/rouquidao_e_massa_mediastinal.hth

GOES JUNIOR, Adenauer Marinho de Oliveira et al . Achados incidentais de aneurismas torácicos e abdominais. J. vasc. bras.,  Porto Alegre ,  v. 15, n. 2, p. 106-112,  June  2016 .

VEJA TAMBÉM

Síndrome do Ligamento Arqueado Mediano

Relato de caso de Edema Cerebral em UTI

Pé Diabético

  • 5 Publicações