Aspirin-Exacerbated Respiratory Disease

há 1 ano     -     
Aspirin-Exacerbated Respiratory Disease

Conceito

    Aspirin-Exacerbated Respiratory Disease (AERD) é uma doença adquirida caracterizada por inflamação eosinofílica crônica dos seios paranasais com desregulação de base do metabolismo do ácido araquidônico. Esse quadro pode ocorrer em pacientes asmáticos ou não, com reação patognomônica à exposição de todos os AINES (inibidores da COX-1).

 

Apresentação

    AERD tipicamente se desenvolve na terceira ou quarta década de vida em indivíduos com história de resfriado que nunca resolveu, mas que progrediu com hiposmia/anosmia e rinossinusite crônica. O paciente típico é do sexo feminino e com história de indicação de cirurgia nos seios da face. Embora possam não apresentar asma, esses pacientes podem desenvolvê-la em algum ponto de evolução da doença. É importante lembrar que a gravidade da asma está diretamente relacionada à gravidade da doença nos seios da face.

    A prevalência observada é de 7% em asmáticos, sendo que nos casos mais graves pode atingir cerca de 14% deles. O que se observa na prática clínica é o subdiagnóstico dessa doença, o que mostra a necessidade de um melhor conhecimento acerca do tema. Algumas características podem ajudar a diagnosticar AERD no início do curso da doença:

  • Sensibilidade ao álcool é observada em 83%. Ela é caracterizada pela manifestação da doença quando o indivíduo ingere álcool. Embora não tenha relação direta com a COX-1, essa peculiaridade deixa de existir após ser realizada a dessensibilização da aspirina.
  • Embora possam tolerar baixas doses de aspirina (81 mg/dia), se houver história compatível com a doença, ela não deve ser excluída, pois os pacientes podem mesmo assim ter teste positivo na provocação oral com aspirina.

 

Fisiopatologia

    O principal mecanismo da doença são as anormalidades no metabolismo do ácido araquidônico. Em condições ideais, o ácido linoleico é metabolizado no fígado, originando o ácido araquidônico (AA), que é transportado até as membranas celulares, por meio de lipoproteínas, fazendo parte de sua composição. Após estímulos, a enzima Fosfolipase-A2 extrai o AA que será metabolizado pela 5-cicloxigenase ou pela lipoxigenase; a partir desse ponto, serão obtidos os produtos do metabolismo, que atuarão na proteção de epitélios e no processo inflamatório. As anormalidades observadas estão listadas na tabela 1.

 

  • 2 Publicações