Cálculos farmacêuticos: tudo que você precisa saber

há 5 meses     -     
Cálculos farmacêuticos: tudo que você precisa saber
Cálculos farmacêuticos - Sanar

 

Cálculos farmacêuticos: tudo que você precisa saber

 
Os Cálculos são essenciais para a prática farmacêutica tanto para o preparo ou fracionamento de formulações para pacientes quanto para a determinação das quantidades de ingredientes para adicionar às misturas intravenosas e outras formulações manipuladas. (THOMPSON, 2013).
 
Considerando o grande número de intervenções às quais o paciente é submetido durante a internação hospitalar, uma alta taxa de erros é uma possibilidade de conhecer e aplicar adequadamente os fundamentos da aritmética e da matemática para auxiliar o profissional de saúde na prevenção de erros relacionados ao preparo, a dosagem e ou à administração de medicamentos (COREN, 2011).
 
Para fornecer doses corretas dos medicamentos aos pacientes deve-se ter uma boa compreensão das unidades de medida para os fármacos,  expressões de quantidade e de concentração aceitas para
medicamentos e preparações e conhecimento e habilidade em usar tais informações ao executar os cálculos necessários para o fornecimento correto da terapia medicamentosa (THOMPSON, 2013).
 
Neste artigo você vai ver os principais conceitos, unidades de medidas, equações para cálculo de concentração e cálculos do preparo de cápsulas, soluções e emulsões.
 

Aplicações dos cálculos farmacêuticos

 
Segundo Ansel e Stoklosa (2008) o escopo dos cálculos farmacêuticos inclui o cálculo de:
  • Dosagem de fármacos, regimes de dosagem, taxas de administração de medicamentos, e adesão do paciente ao tratamento prescrito;
  • Taxas de absorção dos fármacos, distribuição corporal, metabolismo e excreção;
  • Formulações farmacêuticas e produções de lotes de várias quantidades;
  • Prescrições e ordens de medicação que requerem manipulação;
  • Dados de testes físicos e químicos e ensaios para o controle de qualidade de formas de dosagem e sistemas de liberação de fármacos;
  • Pureza química, características físicas e atividade biológica de fármacos e substâncias farmacêuticas.
 

Métodos de aplicação geral de cálculos

 
De acordo com Thompson (2013) há 3 métodos de aplicação geral para vários tipos de problemas:
  • Razão e Proporção:  A razão é definida como um quociente "de dois números",  já a  proporção como "a expressão da igualdade de duas proporções".
Ex.: Se há 250mg em  5mL (250mg/5mL), então haverá (=) 100mg em XmL (100mg/XmL). Esta proporção é definida da seguinte forma:

exemplo razão e proporção
continuação exemplo razão e proporção
 
  • Análise Dimensional: Ao terminar a instalação do problema, se as unidades do lado direito do sinal de igual são as mesmas que as unidades desejadas, no lado esquerdo do sinal de igual, você resolveu corretamente o problema (desde que, é claro, as quantidades estejam com as unidades corretas). Organize tais fatores como frações de uma maneira que quando você multiplicá- las, irá
    cancelar todas as unidades, exceto aquelas para a resposta desejada.
Ex.: Você tem um paciente pediátrico que pesa 50 lb. O pediatra dela receitou cefaclor 15 mg/kg/dose a ser administrado duas vezes por dia. Você tem disponível a suspensão oral, que é de 125mg/5mL.
Calcule o número desejado de mililitros para cada dose.

exemplo análise dimensional
 
  • Fórmulas Matemáticas: Para alguns cálculos temos fórmulas matemáticas que foram desenvolvidas para fins específicos. Em um caso como esse, preencha os dados necessários e resolva a equação.
É importante ter compreensão de algumas definições.

Unidades de Medida

 
O sistema métrico decimal e de tempo utilizado em hospitais tem como unidades básicas o metro, o litro, o grama e o segundo (COREN, 2011).
O metro(m) é a unidade básica de comprimento.
O litro (l) é a unidade básica de volume.
O grama (g) é a unidade básica do peso.
O segundo (seg) é a unidade básica de tempo.
Kg hg dag g dg cg mg
1 litro = 1 dm3
1 mL = 1 cm3
1 mg = 1000 µg
1 g = 100.000 µg
1 mg = 1.000.000 ng
1 mg = 1.000.000.000 pg

Cálculos de Concentração

 
A concentração fornece a quantidade de fármaco ou substância ativa por quantidade (massa ou volume) de preparação (THOMPSON, 2013).
 
  • Porcentagem:  Representada pelo símbolo % (por cento), pode ser "traduzido" como partes de cem, então quando diz-se 45% isso significa que tem-se 45 partes de um total de cem (COREN, 2011).
 
As principais unidades usadas para expressar a concentração são:
Para soluções de sólidos em líquidos: 1 g de soluto ou sólido em 1.000 mL de solução ou preparação líquida.
Para soluções de líquidos em líquidos: 1 mL de constituinte líquido em 1.000 mL de solução ou preparação líquida.
Para misturas de sólidos em só1idos: 1 g de constituinte sólido em 1.000 g de mistura sólida.
  • Massa da substância ativa por massa do produto (uma pomada oftálmica de gentanticina 3 mg por grama (também escrito 3 mg/g) contém 3 mg de gentanticina em cada 1 g de pomada).
 
  • Massa da substância ativa por volume do produto (uma solução oftálmica de tobramicina de 3 mg por mililitro (também escrito como 3 mg/mL) apresenta 3 mg de tobramicina em cada 1 mL de solução).
 
  • A molaridade (M) é o número de moles de soluto por litro de solução. Por exernplo, unia solução de hidróxido de sódio 1 M contém 1 mol de hidróxido de sódio por litro de solução. Visto que a massa molecular do hidróxido de sódio é 40,0 uma solução de hidróxido de sódio 1 M contém 40,0 g de hidróxido de sódio por litro de solução (40 g/L ou 40 mg/mL).
 
  • A densidade (d) de uma solução é a relação entre a massa (m) e o
    volume (V) dessa solução: d = m/v (COREN, 2011).
 

Cálculos para escolha de tamanho de cápsulas

 
Cápsulas são formas farmacêuticas sólidas com invólucro duro ou mole, de forma e capacidade variáveis, contendo normalmente uma dose unitária de um ou mais ingredientes ativos. São destinadas à administração oral.
São classificadas como 00, 0, 1, 2, 3, 4 sendo a 00 a maior e a 4 a menor.
  • Escolha por Densidade Aparente: Deve-se conhecer previamente a densidade aparente (dap) dos pós que serão encapsulados.
Exemplo: fármaco 500mg com dap = 0,8 g/mL, qual o volume que este fármaco vai ocupar?
Dap = m /v ; v = m / dap;  v = 0,5/ 0,8;  v = 0,63 mL
Escolher o tamanho da cápsula, então cápsula 0 = 0,67mL, portanto: 0,63 – 0,67 = 0,04mL (volume que falta para completar a cápsula).
Também pode ser feito por volume, peso e tentativa e erro.
 

Cálculos para preparo de emulsões

 
As emulsões são compostas de 3 fases: aquosa, oleosa e tensoativo.
Os cálculos são feitos baseados no Sistema EHL – equilíbrio hidrófilo-lipófilo que classifica os tensoativos de acordo com a sua maior hidro ou lipofilia:
EHLreq = (EHLa x Xa) + (EHLb x Xb)
EHL 3 a 8 = Altamente lipofílicos – emulsões A/O
EHL 8 a 18 =  emulsões  O/A
É importante lembrar que algumas condições de saúde ou fisiológicas podem alterar algumas propriedades cinéticas de fármacos e do corpo, como alteração do pH e tempo de esvaziamento gástrico, enzimas do metabolismo, água corporal total, motilidade gastrointestinal, proteínas plasmáticas e variações de massa muscular,  sendo necessário então realizar algum ajuste em cálculos farmacêuticos antes da realização da administração do medicamento.
Algumas situações mais conhecidas são a pediatria e geriatria, além de condições como insuficiência renal e hepática.

Referências

 
ANSEL, H. C.; STOKLOSA, M. J. Cálculos Farmacêuticos. 12. ed., Porto Alegre: Artmed, 2008.
CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM - COREN. Boas Práticas: Cálculo Seguro. v. 1, São Paulo, mai., 2011.
CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM - COREN. Boas Práticas: Cálculo Seguro. v. 2, São Paulo, mai., 2011.
THOMPSON, J. E. A prática farmacêutica na manipulação de medicamentos. 3. ed., Porto Alegre: Artmed,  2013.
 
67 Publicações - 2 Seguidores

Sou o Farmacêutico Concurseiro da Sanar! No meu blog você vai encontrar tudo sobre concursos, residências e sobre a carreira do farmacêutico no Brasil! Estamos melhorando aos poucos a sua experiência por aqui!

  • 67 Publicações