71 Publicações -

Conheça as Lesões de Pele Mais Comuns no Verão

há 2 meses     -     
Conheça as Lesões de Pele Mais Comuns no Verão

 

A Dematologia é um universo. Existem diversas doenças, e como se já não bastasse saber as definições, diagnósticos e tratamento, as manifestações clínicas vêm acompanhadas de inúmeras fotos. Difícil decorar, digo, aprender isso tudo, não é mesmo? Por isso a Sanar resolveu te ajudar nesse problema e facilitar a sua vida. O que um médico generalista precisa saber sobre Dermatologia? Te garanto que você vai se deparar com diversas lesões de pele ao longo da sua Carreira Médica, então, não dá mais pra fugir de aprender Dermato. Hoje fizemos um post baseado no Manual de Dermatologia na Atenção Básica para saber reconhecer as principais lesões de pele na estação mais quente do ano.

 

O verão está aí e a combinação sol, areia, praia, piscina e excesso de suor elevam o risco de algumas doenças da pele. Essas são lesões que todo médico deve saber reconhecer e tratar. Fica ligado para reconhecer:

 
  1. Larva migrans: popularmente conhecido como Bicho Geográfico, é uma dermatose causada pela penetração da pele por larvas de ancilóstomos de cães e gatos. As larvas estão presentes nas fezes desses animais que defecam em áreas como praia, ocorrendo contaminação da areia e inoculação acidental de larvas  no homem. A lesão é caracteristicamente um túnel eritematopapuloso, tortuoso, determinando um trajeto, com extremidade mais ativa, localizando-se preferencialmente nos pés e nádegas. Pode haver vesículas e bolhas associadas. O diagnóstico é dado com base nas manifestações clínicas e no histórico de exposição a terrenos possivelmente contaminados.

  2. Impetigo: Os principais agentes relacionados a essa patologia são Staphylococcus aureus e Streptococcus beta-hemolítico e a maior prevalência dessas infecções se dá na infância. As localizações preferenciais do impetigo são a face e as extremidades. Existem duas formas clínicas: bolhoso e não bolhoso (crostoso). A forma bolhosa é causada geralmente por estafilococos, sendo que ocorre inicialmente  uma colonização da mucosa nasal e a partir daí o surgimento de vesículas e/ou bolhas flácidas. Quanto ao impetigo crostoso, os principais achados são crostas amareladas e espessas resultantes do ressecamento do conteúdo purulento das bolhas em uma base eritematosa. Os principais agentes dessa forma são os estreptococos.

  3. Foliculite: Conceito amplo para infecção bacteriana que ocorre no folículo piloso, com um espectro de gravidade. O agente mais relacionado é o Staphulococcus aureus. Podem ser classificadas em superficiais ou profundas. As superficiais são chamadas de ostiofoliculite, e clinicamente são caracterizadas por pústulas superficiais que formam crostas ao se romperem e secar, centradas por pelo. Já as formas profundas na maioria das vezes evoluem cronicamente e podem comprometer a estrutura do pelo, de forma que provocam a perda de pelo definitiva (alopecia cicatricial). As principais variantes são: 1) Foliculite decalvante; 2) Foliculite queloidiana; 3) Sicose e 4) Hordéolo.

  4. Acne solar: A acne é uma  dermatose inflamatória crônica que envolve a unidade pilossebácea. Manifesta-se de forma mais proeminente em locais da pele com alta densidade de glândulas sebáceas, como rosto, costas e tórax. Diversos fatores estão envolvidos na patogênese da acne, sendo  a predisposição genética considerada por alguns autores como o fator-chave. Por se tratar de uma doença polimorfa, é classificada de acordo com a apresentação de suas lesões entre os graus I a V. A Acne Solar é provocada pela mistura da oleosidade aumentada da pele, sudorese, uso do filtro solar e da própria radiação solar. Recomenda-se lavar o rosto com um sabonete adequado para o tipo de pele, usar tônicos mais adstringentes e filtros solares com base aquosa ou em gel, o que pode diminuir a oleosidade.

  5. Queimadura de sol: verão é o momento de intensificar o uso de filtro solar, que deve ser aplicado diariamente, e não somente nos momentos de lazer.  Os produtos com fator de proteção solar (FPS) 30, ou superior, são recomendados para uso diário e também para a exposição mais longa ao sol (praia, piscina, pesca etc.). Muitas pessoas acabam se esquecendo do uso dele, e ficam com queimaduras solares. A pele muito vermelha e podemos aliviar os sintomas com o uso de compressas de água fria, analgésicos e loções corporais calmantes como o Caladryl, por exemplo.

 

Até a próxima.

Confira outras matérias:

5 cursos gratuitos nas melhores Universidades do Mundo
Síndrome de Burnout: Um alerta a Saúde dos Médicos

 

 




71 Publicações - 0 Seguidores

  • 71 Publicações