Caso Clínico de Cirurgia - Colecistite Aguda

há 1 ano     -     
Caso Clínico de Cirurgia - Colecistite Aguda

Paciente D.S.R. sexo feminino, 45 anos, parda, solteira, gerente de vendas. Chega a emergência do HGE referindo dor abdominal, de início abrupto após o almoço. Informa que a dor se intensificou após comer um hambúrguer no lanche da tarde. Relata Náuseas e febre de 38°, medida no trabalho momentos antes de ir para a emergência. Nega alergias, cirurgias prévias e constipação. Informa que há duas semanas realizou exames de sangue de rotina e foi informada pelo seu médico que o açúcar estava alto, porém que ela ainda não era diabética, contudo deveria melhor sua alimentação, o que ela nega ter feito. Relata mãe diabética e pai hipertenso.

Exame Físico:

FC: 92 bpm   TA: 126 x 82 mmHg  Temp: 38,2º C   FR: 14 ipm 

Ao exame apresenta-se com estado geral regular, com fácies de dor aguda, anictérica, acianótica e LOTE. Dor à palpação do hipocôndrio direito e sinal de Murphy positivo.

Hipótese Diagnóstica:

Colecistite aguda

Exames laboratoriais:

1.  Hemograma

Hb: 13g%

Hematócrito: 37 %

2. Leucograma

Leucócitos totais: 11.000/ mm3

Bastões: 6%

Plaquetas: 350.000

3. Transaminases

ALT: 55 U/L

AST: 50 U/L

4. Bilirrubinas

Bilirrubina Total: 1,0 mg/dL

Bilirrubina Direta: 0,2 mg/ dL

Bilirrubina indireta: 0,8 mg/dL

5. Fosfatase alcalina

FAL: 145 U/L

6. Função pancreática

Amilase: 140 UI

Lipase: 1,3 UI

7. Ultrassonografia

Resultado: imagem ultrassonográfica evidenciando espessamento da parede da vesícula biliar em 6mm, apresenta imagens esféricas, hiperecogênicas, som sombra acústica posterior, sugestivo de litíase. Sinal de Murphy ultrassonográfico positivo.

Conduta: Colecistectomia videolaparoscópica com colangiografia intra-operatória

Obs: a colangiografia intra-operatória não evidenciou a presença de cálculos nas vias biliares.

Conduta pós operatória:

Repouso relativo

Dieta zero por 24 horas

Solução fisiológica 1000ml

Solução glicosada 1500ml

Uso: EV alternado  35 gts/min

Cafazolina – 2g EV 4/4h

Plasil – 01 ampola EV 8/8h se náusea

Dipirona – 01 ampola 06/06h se dor

Dados vitais 6/6h

Caso clínico: conclusão.

Paciente evoluiu bem depois da cirurgia, recebendo alto 1 dias  após a intenação. Foi orientado a não realizar esforço ou pegar peso por 15 dias, e fazer uma reeducação alimentar, com diminuição da ingestão de carboidratos e lipídios. 

3 Publicações - 1 Seguidores

  • 3 Publicações