Caso Clínico- Esquistossomose

há 1 ano     -     
Caso Clínico- Esquistossomose

                                             Caso Clínico

LAGASTRO-Liga Acadêmica de Gastroenterologia FAMINAS-BH

Autores: Matheus Silva Costa Corrêa Alves

Orientador: Lívia Corrêa Alves Valadares

Instituição: Faculdade de Minas - Belo Horizonte – FAMINASBH

História Clínica:

R.C.S., 35 anos, pedreiro, casado, residente em Betim. Internado em 09/14 com quadro de diarreia mensal recorrente, cerca de 03 evacuações líquidas que duravam 05 dias, seguida de melhora espontânea. Quadro iniciado no começo do ano. Há 3 meses da internação referiu perda ponderal e há 01 mês aumento do volume abdominal. Negava comorbidades prévias, uso de medicações e alergias. Etilista social.

Exame Físico:

Bom estado geral, afebril, normotenso, eupneico em ar ambiente, sem alterações de ausculta cardíaca. Abdome ascítico e fígado palpável a 2 cm do rebordo costal direito.

Exames Complementares:

Hemograma 29/09: HB 9    VCM 112   Leuc 6570  E  11%(723)

Parasitológico de fezes: Giardia lamblia

Líquido ascético: transudato, GASA portal e sem evidências de PBE (Leucócitos:  71  Albumina 0,4; Albumina sérica 3,7). Citologia negativa para malignidade

Sorologia para hepatites e HIV: negativos

US de abdome: hepatomegalia leve associada a alterações do sistema porta, com redução da velocidade de fluxo na veia porta e esplenomegalia leve, compatíveis com hepatopatia crônica e ascite.

Colonoscopia: múltiplos pólipos em cólon ( colite e retite leves? Hiperplasia linfoide?).

Enterotomografia: achados que podem corresponder a doença inflamatória intestinal que acomete jejuno proximal e hepatoesplenomegalia. Linfonodomegalias mesentéricas múltiplas ( doença linfoproliferativa?).

EDA: varizes esofageanas de fino e médio calibres, pequenos pólipos gástricos e nodosidades em bulbo e segunda porção duodenal.

Biópsia Hepática: espaços porta levemente expandidos por fibrose e discreto infiltrado inflamatório, além de proliferação ductular e vascular e granuloma com ovo de S. mansoni (histologia compatível com esquistossomose hepática)

Biópsia de colonoscopia: infiltrado inflamatório linfoplasmoticitário com eosinófilos, associado a congestão e edema associados a granuloma envolvendo ovos de S. manssoni , com fragmentos de cólon de aspecto polipoide ( pseudopólipos inflamatórios associados a S. manssoni em cólon e íleo histologia compatível com esquistossomose intestinal).

Biópsia de EDA: duodenite crônica leve esquistossomótica e pólipos gástricos esquistossomóticos.

Diagnóstico:

Esquistossomose hepatoesplênica e ectópica ( forma polipóide )

Tratamento:

Praziquantel: 60mg/ dia em um dia, fracionada em duas doses. Paciente recebeu alta estável clinicamente, sem queixas, para acompanhamento ambulatorial.

VEJA TAMBÉM

O HDL no Contexto Clínico da Aterogênese?

Aneurisma como causa de Hemorragia Subaracnoidea

Caso Clínico - Carência Nutricional

  • 4 Publicações