Caso Neurocriptococose

há 1 ano     -     
Caso Neurocriptococose

LINEP FTC- Caso de Neurocriptococose pelas ligantes Lays Oliveira e Marianna Loureiro

Id: V.B.O, 52 anos, feminina, parda, dona de casa, natural e procedente de Santo Antônio de Jesus, Bahia.

QP: Diminuição do nível de consciência há 48h.

HDA: Paciente acompanhada da filha e encaminhada de uma unidade em Santo Antônio de Jesus para unidade de referência em Salvador relatando que há 6 meses vem cursando com cefaleia intensa, de intensidade 10/10, holocraniana, pulsátil, incapacitando a paciente de realizar suas atividades diárias e afirma ainda tomar analgésicos mas não há melhora total da cefaleia. Cefaleia acompanhada de diminuição da força muscular( que foi manifestado pela paciente através da dificuldade de segurar as panelas e sacolas de supermercado), distúrbio de marcha e descontrole esficteriano e por vezes cursando com diarreia( mais de 5 episódios durante os seis últimos meses) apresentando fezes líquidas, fétidas e explosivas. Nas últimas 48h a paciente evoluiu com náuseas, pirose e dois episódios de vômitos com aspecto biliar, além disso, a filha relatou que a mãe teve um episódio de desorientação, não reconhecendo familiares e a própria casa. Após esse episódio a paciente foi levada a uma unidade de saúde em Santo Antônio de Jesus, há 24h, onde foi realizado estudo do líquorcompatível com encefalite por criptococos,com aspecto turvo, células 248 cel/mm³ (VR: até 4 cel/mm³), proteínas 785 mg/dL (VR: até 40 mg/dL), glicose 17 mg/dL (VR: 50-80mg/dL), cloretos 678mg/dL (VR:680-750 mg/dL), Gram negativo, tinta da china positivo, cultura para bactérias negativo, cultura para fungos: Cryptococcus spp, Látex Cryotococcus reagente 1/64  e VDRL negativo, sorologia positiva para cisticercose, BAAR não confirmado, contudo ADA (adrenalina deaminase) elevado, teste rápido de HIV negativo e trouxe ressonância magnética computadorizada de 4 meses atrás com impressão diagnostica de hidrocefalia comunicante.

HPP: Paciente refere ser portadora de hipertensão arterial sistêmica há 5 anos, fazendo uso contínuo de losartana (50mg, duas vezes ao dia) e hidroclotiazida (25mg uma vez ao dia). Nega histórico de DM, câncer, TB, Chagas, Zica, Dengue e Chukungunya. Nega internamentos, cirurgias prévias, alergia medicamentosa, alimentar e ambiental, traumas, transfusão sanguínea e uso de outros medicamentos. 

G2P1A1

-----Gostando do conteúdo? Discuta com a gente nos comentários!---- 

HF: Genitor falecido de acidente automobilístico há 10 anos.

Genitora: falecida durante o parto da paciente.

Nega histórico de doenças neurológicas, câncer, TB, doenças cardiovasculares.

 

IS: Refere perda ponderal de 3kg em 2 meses. Afirma sudorese noturna às vezes. Nega febre, caibras, alterações no sono.

Cabeça: afirma cefaleia vide HDA

Pescoço: Nega tumorações e massas.

Ap. Respiratório: Nega dispneia, cianose, tosse, espirros e coriza.

Ap. Cardíaco: Nega palpitações, arritmias e precordialgia.

Ap. Digestivo: Afirma pirose, náuseas, vômitos  e diarreia vide HDA. Nega disfagia e odinofagia.

GenitoUrinário: Nega prurido ou lesões na genitália. Nega alterações no volume da urina e micção.

Extremidades: Afirma parestesias  em MMII, às vezes e afirma que é por conta das atividades domésticas.

 

 

Exame físico:

Peso: 48kgAltura: 1,50mIMC: 21,3

Frequência respiratória: 14ipm

Pulso Radial: 80 ppm

Pressão arterial: 140x90 mmHg

Temperatura axilar: 36, 9 ºC

Paciente com fáceis de dor, acianótica, anicterica, hidratada, corada, afebril ao toque, idade aparente superior a referida.

Cabeça/pescoço/linfonodos: cabeça de conformação normal dolorosa a palpação, pescoço de conformação normal, tireóide palpável. Linfonodo palpável em região submandibular esquerda de cerca de 1 cm, móvel e indolor.

Aparelho respiratório: tórax de conformação normal, frêmito toraco-vocal preservado, expansibilidade adequada, murmúrio vesicular presente, presença de ronco discreto em base inferior direita.

Aparelho cardio-vascular: precordio calmo, ictus em quinto espaço inter-costal na linha média clavicular, duas polpas digitais,  bulhas rítmicas e normofonéticas em 2 tempos, ausência de sopros e/ou frêmitos.

Abdome: plano e flácido, presença de ruídos hidroaereos, presença de hérnia em região mesogástrica com dor a palpação, ausência de visceromegalias e sinais de peritonite.

Extremidades: perfundidas e sem edemas.

Neurológico: paciente lúcida orientado no tempo e espaço, força muscular grau 5 em membros superior e inferior esquerdo, grau 3  em membros superior e inferior direita.Sinal de Brudzinski  positivo, Sinal de Kernig negativo e sinal de Lasegue negativo.

Suspeita diagnóstica: Neurocriptococose

Conduta:

Paciente foi encaminhada para internamento.

Prescrito: Repouso com leito elevado a 30°.

Dieta oral.

Soro fisiológico 0,9% 1500ml I.V 21gotas/minuto.

Soro fisiológico 0,9% 250ml I.V 1hora antes e depois da anfotericina B.

Anfotericina B 35mg I.V em 4 horas diluídos/dia, durante 6 semanas.

Mantidos medicamentos de uso continuo (losartana e hidroclotiazida).

 

 

Neurocriptococose: doença causada pelo fungo Cryptococcus spp, fungo saprófita encontrado no solo, em frutas secas e cereais e nas árvores, é isolado nos excrementos de aves, principalmente pombos. A doença pode manifestar-se com uma meningite sub-aguda ou crônica, caracterizada por febre, dor no peito, rigidez de nuca, dor de cabeça, náuseas e vômitos, sudorese noturna, confusão mental e alterações de visão. Pode haver comprometimento ocular, pulmonar, ósseo e, às vezes, da próstata. 

  • 20 Publicações