Depressão por Bullying

há 1 ano     -     
Depressão por Bullying

Dados de Identificação: MGC, 18 anos, Estudante, Asunción – Paraguay, secundário concluído/ensino médio completo.

Motivo da consulta: mudança de conduta + tentativa de autólise. 

 

HDA: Dados apontados pela mãe que merecem destaque: há cerca de 1 ano paciente iniciou dieta restrita, frequenta academia cerca de 4horas por dia, há cerca de 6 meses se recusa a sair a festas com os familiares, há 3 meses familiares notam que a paciente está muito magra, não quer comer com eles. Há 1 mês paciente recusa todos os tipos de alimentos, come apenas saladas e laticínios, conta quantas calorias come por dia. Está muito irritada, chora muito. Hoje a paciente toma todos os comprimidos da mãe e por motivo foi levada ao centro de toxicologia, realiza lavagem gastrointestinal e consulta com a psiquiatra.

 

História mórbida pregressa: Primeira vez no serviço com tratamento psicológico ao 14 anos por bullying.

 

Hábitos tóxicos: não é conhecido. Provável consumo de anfetaminas anorexígenas (mãe não sabe referir que droga).

 

História mórbida familiar: mãe com tratamento antidepressivo, com diagnóstico F32.

 

Psicobiografia: paciente menor de 4 irmãos. Gravidez desejada, distocia mecânica durante o parto. Alimentação exclusiva com leite materno até os 6 meses de idade. 

 

Infância: bom desempenho escolar. Sempre esteve acima do peso e por isso era motivo de piada por muitos companheiros dá escola.

 

Adolescência: diminuição do rendimento escolar. Aos 14 anos já não queria mais ir ao colégio em função do bullying dos colegas sobre o seu sobrepeso.

 

Atualmente: namorando há 2 anos. Realiza exercícios físicos diários com o namorado. Múltiplos conflitos com o parceiro chegando a agressão física.

 

Ao exame psicológico: paciente vigil, abordavel, aspecto descuidado, múltiplas lesões  em articulações resultado dos exercícios segundo refere a paciente. Atende e compreende. Orientada em tempo e espaço. Lentidão de psicomotricidade, impulsividade, reflexo diminuído. Nega alterações sensoperceptiva. Refere insônia de conciliação. 

 

Estado de ânimo: "muito triste". 

 

Afeto: de acordo com o estado de ânimo, pensamento conservado e contido: não se constatam ideias delirantes ao momento da avaliação. Paciente refere que não quer voltar a passar  o que passou, que leva uma dieta restrita com cerca de 500kcal/dia. Refere ter sofrido muitos maus tratos com relação ao seu peso anterior. Ideação e planificado suicida: "Se me obrigarem a comer, vou voltar a tentar me matar". "Não penso em viver com meu peso anterior". 

  • 7 Publicações