DESAFIO | Lembrar do raro, mas não esquecer do comum

há 6 meses     -     
DESAFIO | Lembrar do raro, mas não esquecer do comum
desafio-licardio

Área do caso: RAIO-X DE TÓRAX
Paciente portadora do vírus HIV/SIDA há 15 anos, em uso irregular de TARV há 2 anos, dá entrada em pronto-socorro referindo febre de 39,0°C de início abrupto, de evolução contínua associada à astenia importante há 15 dias. Além disso, também há 15 dias, iniciou-se quadro de tosse seca que evoluiu para expectoração purulenta, de odor fétido, em quantidades moderadas (20mL), sem horários específicos para acontecimento.

imagem-01
Fonte: arquivo pessoal do autor


PONTOS PARA DISCUSSÃO
  1. Com base na história clínica deste paciente e com o seu raio-x, qual é o diagnóstico do caso?
  2. Qual deve ser o agente etiológico envolvido nesta patologia?
  3. Como a doença de base do paciente deve interferir no quadro clínico deste paciente?



GABARITO
  1. TB PULMONAR (grandes cavidades em lobos superiores direito e esquerdo, além de infiltrado no terço médio direito e nos terços médio e superior esquerdos).
  2. M. tuberculosis é um dos agentes infecciosos mais virulentos associados à infecção pelo HIV. Além disso, considerar que pacientes com SIDA possuem maior prevalência de infecções por micobactéria não tuberculosa, portanto solicitar BAAR + Culturas e Identificação da micobactéria + Teste de Sensibilidade.
  3. A TB é a principal causa de morte em pacientes infectados pelo HIV/SIDA. Os pulmões são os órgãos mais precocemente acometidos nesta infecção quando associado ao HIV. As formas extrapulmonares ocorrem à medida que a imunodepressão se agrava.  A forma linfonodal é a mais comum e caracteriza-se por acometimento linfonodal difuso. Em relação ao diagnóstico, a positividade da baciloscopia no escarro e no lavado brônquico tende a ser baixa, enquanto no exame histopatológico verifica-se a formação de granuloma frouxo, usualmente rico em bacilos (atípico).
?

REFERÊNCIA
MEDICI, Luiz Francisco Ribeiro. Tuberculose: Tuberculose e aids. In: FARESIN, Sonia Maria et al. Guias de Medicina Ambulatorial e Hospitalar da EPM-UNIFESP: PNEUMOLOGIA. 2. ed. Barueri: Manole, 2014. Cap. 14. p. 215-253.

 

A Liga de Cardiologia e Pneumologia da Universidade Estadual do Ceará é orientada pelo médico cardiologista Dr. Filadelfo Rodrigues Filho, professor da UECE e atual coordenador do Centro de Estudos do Hospital Dr. Carlos Alberto Studart Gomes. A liga conta com módulos de ensino bastante enriquecedores, que visam à capacitação dos estudantes para estágios, além de atividades de pesquisa e dois grandes projetos de extensão: o Viva Coração e o RCP para todos. O projeto de inclusão da Pneumologia pela LICARDIO é recente, mas conta com excelentes ideias que já estão saindo do papel e terão forte impacto na produção científica da liga, visando sempre abrir fronteiras e tornar o conhecimento médico cada vez mais acessível.

  • 9 Publicações