Angiografia%20Pulmonar%20por%20TC:%20demonstra%20falha%20de%20enchimento%20envolvendo%20a%20árvore%20arterial%20do%20lobo%20inferior%20esquerdo.         Angiografia%20Pulmonar%20por%20TC:%20demonstra%20falha%20de%20enchimento%20envolvendo%20a%20árvore%20arterial%20do%20lobo%20inferior%20esquerdo.  

Embolia pulmonar

Embolia pulmonar
 
 
  Angiografia%20Pulmonar%20por%20TC:%20demonstra%20falha%20de%20enchimento%20envolvendo%20a%20árvore%20arterial%20do%20lobo%20inferior%20esquerdo.  

ID: E.P.S., sexo feminino, 66 anos, natural e procedente de São Paulo.

QP: Falta de ar repentina, há mais de 2 horas.
 
História da Doença Atual: A paciente relata ter sofrido uma queda, na escada de sua casa, há uma semana, lesionando o MIE.
 
História Patológica Pregressa: a paciente nega doenças e alergias a medicamentos. Nega ser fumante e diz fazer uso apenas de
acetaminofeno para analgesia.
 
Exame Físico: PA: 100/70 mmHg; FC: 104 bpm; FR: 41 ipm; afebril.
Normocórica; acianótica, com catéter de 02 nasal; ausculta pulmonar: limpa; coração: sem sopros; outros sistemas: normais.
 
Exames Complementares:
Toponina-T: negativo
D-dímeros: 2851,6
ECG: revela taquicardia sinusal
Exibindo ECG taquicardia sinusal.png
 
 
 
Angiografia Pulmonar por TC: demonstra falha de enchimento envolvendo a árvore arterial do lobo inferior esquerdo.
 
Exibindo TC Angiografia Pulmonar.jpg
 
 
Tratamento: uso de anticoagulantes como heparina IV não fracionada deve ser administrado tão logo seja sugerido o diagnóstico.
 
Discussão
 
   A dispnéia de início súbito pode levantar a suspeita de síndrome coronariana aguda (SCA) ou de embolia pulmonar (EP). A ausência de dor torácica ou de angina e a falta de fatores de risco para uma SCA são pontos que falam contra esse diagnóstico. Contudo, cabe ressaltar que a SCA pode apresentar-se de forma atípica, particularmente em mulheres. Geralmente, os sinais clínicos individuais e os sintomas não permitem a exclusão ou a confirmação de EP. Seu ECG não demonstra evidência de isquemia e, assim, excluem o SCA. A taquicardia sinusial isolada pode ser secundária a uma EP, mas é um achado inespecífico. Os níveis plasmáticos de D-dímeros estão elevados nessa paciente. Embora isso não confirme o diagnóstico de EP (uma vez que os níveis de D-dímeros também podem estar elevados em neoplasias malignas ou após cirurgias recentes), um nível sérico normal de D- dímeros teria excluído esse diagnóstico. A angiografia pulmonar por TC demonstra uma falha de enchimento da árvore arterial pulmonar, confirmando, assim, o diagnóstico de EP. O próximo passo deve ser a estratificação de risco, para qual deve ser realizada a estimativa dos biomarcadores cardíacos. Nessa paciente, o exame de troponina -T é negativo, o que indica que a paciente não está sob alto risco para desfechos adversos.
 

  • 5 Publicações