Fisioterapia: cuidados no puerpério

há 1 ano     -     
Fisioterapia: cuidados no puerpério

 Dhaynna Cristiny Barros Silva * e Edicássia Rodrigues Morais Cardoso**

* Acadêmica de fisioterapia e integrante da LASM

** Docente do curso de enfermagem e coordenadora da LASM

O período após o parto é chamado de período de puerpério que compreende o puerpério imediato que tem duração de 6 a 8 semanas após o parto, com os seguintes estágios: Pós-parto imediato: do 1° ao 10° dia após a parturição; Pós-parto tardio: do 10° ao 45° dia; Pós-parto remoto: além do 45° dias.

Neste período é em que ocorrem intensas modificações físicas e psicológicas nas mulheres, e a recuperação da genitália materna após o parto. Pode ocorrer problemas como depressão pós-parto, prolapso genital,incontinência urináriae fecal, hemorragias, atonia uterina, lacerações vaginais ou do períneo, infecções maternas, tromboses venosas profundas, embolias. No pós-parto imediato domina a crise genital, já no puerpério tardio o condicionamento da musculatura abdominal e pélvica, e físico como um todo é extremamente importante para ajudar na recuperação da puérpera.

O papel da fisioterapia no pós-parto consiste na recuperação, prevenção e tratamento nos diversos sistemas a fim de minimizar os efeitos indesejáveis das alterações fisiológicas.

 Fornecendo inúmeros benefícios como: reeducar a função respiratória, estimular o sistema circulatório e prevenir tromboses, restabelecer a função gastrointestinal, promover analgesia da região do períneo e da incisão da cesariana, retomar o condicionamento cardiovascular, reeducar a musculatura abdominal e oferecer orientações sobre posturas corretas ao amamentar e nos cuidados com o bebê. Visando restaurar e retornar os sistemas ao estado pré-gravídico, seus efeitos vão auxiliar na reabsorção do excesso de líquido retido na gravidez, aumentar o retorno venoso, melhorar a eficiência do coração e dos pulmões, contribuir para a perda de peso além de diminuir o estresse e a ansiedade, auxiliando de maneira mais fácil ao retorno para suas tarefas. 

Na prevenção de possíveis disfunções posturais dentre outras, deve-se informar a mãe como pode segurar o bebê fazer as trocas da melhor forma, trabalhar técnicas de relaxamento para acalmar o recém-nascido, ensinar a maneira correta da amamentação, técnicas de como deve cuidar do seio de maneira correta(prevenindo mastites). Como incluir o pai do bebê nas tarefas, para proporcionar o maior vinculo do casal,auxiliandona diminuição dos fatores estressantes que podem proporcionar a tão temida depressão pós-parto. 

A revisão puerperal deve ser marcada em torno do 7º ao 10° dia de puerpério em unidade de saúde mais próxima da residência da mulher. Nova avaliação deverá ser realizada entre 30° e o 42° dia pós-parto. 

Os exames de rotina para o período puerperal são: hemograma, EAS I (exame de urina tipo 1), EPF (exame parasitário de fezes), sorologia para sífilis, HIV e hepatite B, o citológico só deverá ser realizado no 3º mês do puerpério. Durante o período puerperal deve ser realizada a vacinação de difteria e tétano, rubéola, hepatite B, febre amarela para poder completar os esquemas vacinais, caso não seja feito no período do pré-natal. 

As puérperas devem receber atenção multi e interdisciplinar, de forma humanística, para que tenham condições de enfrentar as etapas do período puerperal com mais segurança e conforto, suporte esse que favorece ao retorno das condições pré-gravídicas, prezando pela segurança, saúde e bem estar da mãe e do bebê. Conclui-se que o acompanhamento qualificado de um fisioterapeuta é um fator essencial para uma boa gestação e pós-parto. 

VEJA TAMBÉM

Diagnóstico de fibromialgia: deixando de lado os tender points

Doença Arterial Obstrutiva Periférica

Tumor de Wilms

  • 18 Publicações