Implante de Células Tronco em Osteonecrose de Quadril - Dor Crônica Falciforme

há 1 ano     -     
Implante de Células Tronco em Osteonecrose de Quadril - Dor Crônica Falciforme

INTRODUÇÃO: A doença falciforme (DF) é a patologia hereditária mais comum, com uma distribuição mundial 1. No Brasil, a prevalência da hemoglobina S (HbS) varia de 6% a 15,7% entre os diferentes grupos da população, apresentando maior frequência em descendentes Africanos, fator que corrobora para este seja um problema de saúde pública na região Nordeste2,3. É caracterizada por alterações na membrana plasmática das hemácias, causando desoxigenação, rigidez e deformação da célula, que assume formato de foice. Além dos acometimentos relacionados à anemia como astenia e palidez. A DF também leva a um aporte deficiente de oxigênio na microcirculação, que pode resultar em complicações mais graves, como por exemplo, venoclusão, eventos tromboembólicos, hemorragias, Acidentes Vasculares Encefálicos, Infarto Agudo do Miocárdio e Osteonecrose.(REFERÊNCIA) A Osteonecrose da cabeça femoral (ONCF) é a principal complicação da DF, possuindo uma prevalência que varia de 3 a 50% entre seus portadores, e seu tratamento ainda é um grande desafio4,5. O transplante não ablativo autólogo de células-tronco (TNAACT) torna-se uma opção terapêutica eficaz, pois melhora a função articular na ONCF e reduz as dores crônica associada ao quadro, além de ser um procedimento pouco invasivo, apresentando com uma estratégia segura e eficaz para o tratamento da OCNF. 

OBJETIVO: relatar o caso de um paciente portador de ONCF há 07 anos, secundária a DF e avaliar o manejo da dor crônica associado ao quadro com o TNAACT. 

RELATO DE CASO: Paciente, masculino, 30 anos, portador ONCF secundária a DF há 07 anos, com dor de intensidade 5 na EVA em quadril, de caráter continuo e crises álgicas com intensidade 10 na EVA a cada 6 meses. Relata ter realizado dois implantes de prótese em quadril direito e um em quadril esquerdo, além de já ter passado por 3 TNAACT com melhora temporária do quadro, sendo o último há 3 meses. 

CONCLUSÃO: O plano terapêutico adotado, TNAACT, propiciou uma melhora considerável na qualidade de vida da paciente, evidenciado pela redução da intensidade dolorosa bem como diminuição das frequências das crises álgicas. Observa-se também, a necessidade de um acompanhamento multiprofissional, tendo em vista que se trata de uma doença com relevante impacto na qualidade de vida.  

REFERÊNCIAS:  

1. Adorno EV, Couto FD, Moura Neto JP, Menezes JF, Rego M, Reis MG, et al. Hemoglobinopathies in newborns from Salvador, Bahia, Northeast Brazil. Cad Saude Publica. 2005; 21 :292–8. doi: 10.1590/S0102-311X2005000100032. [ PubMed ] [ Cross Ref ]  

2. Adorno EV, Zanette A, Lyra I, Seixas MO, Reis MG, Gonçalves MS. Clinical and molecular characteristics of sickle cell anemia in the northeast of Brazil. Genet Mol Biol. 2008; 31 :621–5. doi: 10.1590/S1415-47572008000400003. [ Cross Ref ] 

3. Gonçalves MS, Queiroz IL, Cardoso SA, Zanetti A, Strapazoni AC, Adorno E, et al. Interleukin 8 as a vaso-occlusive marker in Brazilian patients with sickle cell

 
Você sabia que o seu primeiro emprego provavelmente será o de Médico Emergencista?
 
Faça parte do curso online Urgências e Emergências - o Essencial para a Prática e conheça o passo a passo da prática nas emergências!

  • 3 Publicações