Tudo sobre Avaliação Nutricional - Fundamentos da Nutrição

há 1 ano     -     
Tudo sobre Avaliação Nutricional - Fundamentos da Nutrição


Nutris! Na área de nutrição temos uma coleção de Manuais para Concursos e Residências que é incrível! 
Pensando nisso, resolvemos disponibilizar para vocês um pouquinho de um capitulo inteirinho de cada Manual de Nutrição para vocês!

Para começar: AVALIAÇÃO NUTRICIONAL!

O conhecimento dos fundamentos da Nutrição, é o primeiro passo para a consolidação do conhecimento do nutricionista. Dentro deste tema estão: as Leis da nutrição, as bases nutricionais, os macro e micronutrientes, biodisponibilidade dos mesmos e avaliação nutricional. E esse último, é o nosso tema de hoje. Todas as informações contidas no texto a seguir, foram retiradas do livro Fundamentos da Nutrição, o primeiro da coleção de manuais de Nutrição, lançados pela Editora Sanar, que aborda todos os temas citados anteriormente, de maneira clara e sucinta, através de textos, quadro-resumos, quadros esquematizados e questões comentadas. 

Avalição nutricional é um dos fundamentos mais importantes da Nutrição além de ter uma alta taxa de incidência nas provas de concursos e residências, sendo assim, o domínio desse assunto, é de extrema valia para garantir a tão sonhada aprovação.
A avaliação do estado nutricional de um indivíduo se faz de suma importância para o seu diagnóstico nutricional, e é composta pela obtenção de uma série de dados, como hábitos alimentares, exame físico e bioquímico, história pregressa de doenças, histórico familiar, hábitos culturais e composição corporal, e, juntos, esses dados irão ajudar o nutricionista, a determinar o bom e desejável estado nutricional, determinar o risco nutricional do paciente, detectar situações de doença nutricional efetiva, indicar terapia nutricional apropriada, monitorar a eficácia da intervenção nutricional e reduzir o risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis.

É muito importante que o nutricionista tenha domínio, e saiba como realizar o inquérito com o paciente, pois nele deve conter todas as informações necessárias para um diagnóstico nutricional completo. Existem diferentes maneiras de se realizar a avaliação dietética de um indivíduo, o método utilizado irá depender do objetivo do profissional, que pode ser uma avaliação quantitativa da ingestão de energia e nutrientes, uma avaliação do consumo de alimentos ou grupos alimentares e/ou uma avaliação do padrão alimentar individual.

Quando se trata da avaliação quantitativa do consumo de nutrientes, é necessário que o nutricionista obtenha informações sobre a ingestão de alimentos pelo paciente, e as compare posteriormente com as necessidades nutricionais dele, o instrumento mais indicado para tal finalidade é o recordatório 24 horas, mas também pode ser utilizado o registro alimentar de 3 dias. Já quando se pretende avaliar a frequência de consumo de determinados alimentos, e se existe o consumo de algum alimento em excesso que possa comprometer a saúde do paciente, o instrumento mais indicado é o questionário de frequência alimentar. Por fim, quando o objetivo é a avaliação do padrão alimentar do paciente, é necessário que seja feita uma entrevista/anamnese mais detalhada, e deve constar dados do paciente como: preferências e aversões a alimentos, horários e local das refeições, formas usuais de preparo, consumo habitual de alimentos considerados light ou diet pela legislação, dentre outros. Para além disso, existem vantagens e desvantagens do uso de cada um dos métodos de avaliação dietética citados anteriormente.

Quando se trata de avaliação da composição corporal, os métodos estão divididos em diretos, indiretos e duplamente indiretos. Os métodos diretos, são aqueles que levam à medida de mensuração do elemento que compõe o corpo, sem medidas intermediárias. O único método considerado exclusivamente direto é a dissecação de cadáveres, sendo assim, essa metodologia possui a limitação de ser muito invasivo, apesar de ser o mais fidedigno. Os métodos indiretos, são aqueles onde não há manipulação dos componentes separadamente, ou seja, a partir de métodos químicos e físicos apontam-se as quantidades de gordura e massa magra do indivíduo. Um exemplo de método indireto de avaliação corporal é a pesagem hidrostática, onde a o volume corporal é aferido através da diferença de peso corporal aferido normalmente, e a mensuração feita com o corpo submerso em água. Por fim, tem-se os métodos duplamente indiretos, que são os mais utilizados, dentre eles temos a bioimpedância e a antropometria, e neste último, é possível avaliar o tecido adiposo, e a massa livre de gordura.

Atualmente, a antropometria é o método de avaliação corporal mais utilizado, pois é realizada com equipamentos de fácil aquisição e baixo custo, cujas técnicas não são invasivas, os resultados são rapidamente obtidos, e quando realizadas por profissionais treinados e capacitados, oferecem respostas fidedignas e com baixa margem de erro. As medidas antropométricas utilizadas são, índice de massa corporal (IMC), peso ideal, circunferências (cintura e quadril), razão cintura quadril, dobras cutâneas (tríciptal, subescapular, supra-iliaca, biciptal, abdominal, coxa, panturrilha). A medida a ser utilizada pelo profissional, depende dos instrumentos que ele tem a disposição para realizar a aferição.

O outro método duplamente indireto e também bastante utilizado por ser rápido e não invasivo, é a bioimpedância elétrica. Tal técnica utiliza o princípio da resistência oferecida pelos tecidos corporais à passagem de uma corrente elétrica, sendo assim, determina a água corporal total e, posteriormente, estima a massa livre de gordura e o percentual de gordura. Alguns fatores como a alimentação, bebidas alcoólicas, medicamentos, desidratação e exercício físico, podem alterar o estado de hidratação do paciente, e consequentemente alterar o resultado desse método. Por isso, essa metodologia possui uma alta incidência de erro, ainda que o profissional seja altamente treinado e o equipamento disponível seja de qualidade.

Um outro componente da avaliação nutricional, é o exame físico. A combinação do mesmo com os outros elementos da avaliação, como a antropometria, fornecem para o nutricionista, toda a base para a avaliação do estado nutricional do paciente, bem como sua avaliação. Alguns sinais clínicos, podem evidenciar alguns excessos ou carências nutricionais importantes, que muitas vezes não são evidenciados durante a entrevista. Para além disso, outros sinais clínicos como edema, atrofia muscular ou excesso de gordura, podem ser um alerta para a presença de patologias associadas.

Existem métodos simples, essencialmente clínicos, de baixo custo e rápidos, que servem para avaliar o estado nutricional dos pacientes, em forma de questionário, o mais utilizado deles é a avaliação subjetiva global (ASG). Esse método possui boa reprodutividade e confiabilidade. A grande vantagem da ASG é a classificação rápida dos pacientes em ambulatórios e enfermarias de acordo com o seu risco nutricional. A categorização do paciente é feita de acordo com a sua história e exame físico em, bem nutrido, moderadamente (ou suspeita de ser) desnutrido, e gravemente desnutrido.

Por fim, para auxiliar o nutricionista no diagnóstico nutricional, temos os exames bioquímicos. Que além disso, conseguem detectar deficiências nutricionais antes mesmo do aparecimento de sinais clínicos. É importante ressaltar, que a avaliação bioquímica isoladamente não é suficiente para concluir o diagnóstico nutricional do paciente, como já dito anteriormente, é necessário avaliar todo o conjunto, quais sejam, inquérito alimentar, antropometria e exames bioquímicos.

Os principais exames bioquímicos e seus principais objetivos podem ser vistos a seguir. É realizada e analisada a contagem de proteínas a fim de analisar o estado nutricional do paciente, através de exames como o índice creatinina-altura, 3-metil histidina urinária, albumina, pré-albumina, transferrina, proteína transportadora de retinol e proteínas de fase aguda. A desnutrição também pode ser avaliada através de exames de avaliação da competência imunológica, como testes cutâneos e a contagem total de linfócitos. Além disso, pode ser feita também a monitoração da terapia nutricional através na análise do balanço nitrogenado.

E então, curtiu o texto e quer aprimorar seus conhecimentos? Você pode adquirir o Manual Fundamentos da Nutrição da Editora Sanar e além de aprender muito mais, pode testar os seus conhecimentos com diversas questões comentadas e ter um guia com resumos e esquemas sempre à sua disposição.
 
Esse texto foi elaborado por Mariana Ribeiro Soares Tavares, aluna do 6º semestre de Nutrição da Universidade do Estado da Bahia- UNEB e estagiária técnica de Nutrição - Editora Sanar.




59 Publicações - 1 Seguidores

Em 2019 ultrapassaremos os 150 mil nutricionistas no Brasil! Já passou da hora de termos um lugar com todo contéudo que precisamos, correto?

Aqui você vai encontrar: Concursos abertos para Nutrição, Editais de residência; Dicas de estudo, Artigos Técnicos, Mapas Mentais, Flashcards, Entrevistas, Dicas de carreira e muito mais! Fique de olho e vem com a gente :)

  • 59 Publicações