Medicina Intensiva - DPOC

há 1 ano     -     
Medicina Intensiva - DPOC

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é definida pela GOLD (The Initiative for Obstructive Chronic Lung Diseases), como a obstrução progressiva ao fluxo de ar, em maior parte sem reversibilidade, geralmente com aparecimento clínico associado a pessoas de meia-idade e idosos com um histórico importante de tabagismo. E essa obstrução ao fluxo de ar não pode ser atribuída a nenhuma outra doença específica, como asma ou bronquiectasia. Por ser portador de uma doença crônica, o paciente com DPOC apresenta um padrão clínico regular, ou seja, uma dispneia basal, presença ou não de tosse e expectoração. E esse padrão pode se alterar, caso ocorra uma exacerbação da sua doença de base.

A exacerbação da DPOC é definida como um evento agudo no curso natural da doença, por alguma etiologia a ser esclarecida, que é caracterizada por mudanças no padrão da dispneia basal, tosse ou expectoração ou mudança de coloração do escarro. Ocasionalmente, pode-se levar um período de semanas até meses para regressão da sintomatologia ao nível basal e retorno da função pulmonar aos níveis normais.

Quanto ao tratamento dos casos de agudização da DPOC, basicamente, se objetiva evitar a hipoxia tecidual e controlar ou reverter a hipercapnia e a acidose. Portanto, a primeira medida que deve ser tomada é o fornecimento de oxigenoterapia suplementar, reduzindo a vasoconstrição pulmonar e melhorando o nível de consciência do paciente. Após uma hora de iniciado o suporte, uma gasometria arterial deve ser colhida para garantir que a oxigenação esteja feita de forma adequada e que não haja acidemia.

Um outro passo importante é a prescrição de broncodilatadores, sendo o β2-agonistas de curta duração, a exemplo do Formolterol e Salbutamol Spray, os mais usados nos casos de descompensação da DPOC. Eles preferencialmente devem ser usados por via inalatória, que é a mais eficaz e com menos riscos de efeitos colaterais. A inalação pode ser feita por nebulização ou através de um inalador dosimetrado, caso o paciente esteja em condições de uso. Caso os broncodilatadores não apresentem uma resposta rápida, recomenda-se associar um anticolinérgico (brometo de ipatrópio) aos β2-agonistas de curta duração. Por outro lado, se não houver uma reposta adequada aos broncodilatadores de curta duração, se indica a terapia de segunda linha através do uso de Metilxantinas IV (como Teofilina e Aminofilina), medicamentos que relaxam a musculatura lisa dos brônquios e bronquílos.

O uso de corticosteroides é importantíssimo no tratamento da agudização da DPOC já que eles reduzem o tempo de internação hospitalar e a taxa de recorrência da doença, além de melhorarem a função pulmonar. Indica-se o uso da Metilprednisolona IV, seguida pela prednisona via oral. Já a antibioticoterapia é recomendada para aqueles pacientes com aumento da dispneia e aumento e alteração no aspecto da secreção, sendo utilizada de modo empírico, já que seus principais patógenos associados, tais como H. influenzae, M. catarrhalis e S. pneumoniae, não são facilmente isolados no escarro. O uso de agentes mucolíticos não apresenta evidências de redução do tempo da crise ou de melhora do VEF1, não sendo assim recomendado o seu uso rotineiro.

Referências bibliográficas:

SCHETTINO, Guilherme; CARDOSO, Luiz Francisco; MATTAR JR, Jorge; GANEM, Fernando. Paciente crítico: diagnóstico e tratamento. 2. ed. Hospital Sírio-Libanês. Barueri, SP: Manole, 2012.

AZEVEDO, Luciano César Pontes de; TANIGUCHI, Leandro Utino; LADEIRA, José Paulo. Medicina Intensiva: Abordagem prática. 1.ed. São Paulo: Editora Manole, 2013. 1096p.

GUIMARÃES, Hélio Penna; ASSUNÇÃO, Murillo Santucci Cesar de; CARVALHO, Frederico Bruzzi de; JAPIASSÚ, André Miguel; VERAS, Kelson Eduardo; NÁCUL, Flávio Eduardo; REIS, Hélder José Lima; AZEVEDO, Rodrigo Palácio de. Manual de medicina intensiva: AMIB. São Paulo: Editora Atheneu, 2014.

MOOCK, Marcelo; BASILE FILHO, Anibal; ALHEIRA, Rosa Goldstein. Casos clínicos em terapia intensiva. 2.ed. São Paulo: Editora Manole, 2014. 1328p

  • 7 Publicações