3449 Publicações -

Mitos ou verdades: as principais lendas sobre Concursos Públicos no Brasil

há 10 meses     -     
Mitos ou verdades: as principais lendas sobre Concursos Públicos no Brasil


Com o fim do ano, é normal fazermos um balanço e tomarmos decisões sobre nossos futuros próximos, não é? Muitas vezes ficamos na dúvida de algo por insegurança, ou mesmo por não estarmos tão informados quanto poderíamos sobre algo que nos interessamos e que queremos nos direcionar!

É assim com os Concursos Públicos. Muitas vezes, os boatos fazem com que a gente tenha mais dúvidas do que deveríamos e influenciam em nossa motivação para querer, escolher e iniciar nossa jornada de preparação para ser aprovado!

Palpites, comentários e observações vem de todos os lugares, mas não necessariamente eles estão corretos, não é? Por isso, trouxemos para você a solução para as principais dúvidas sobre Concursos Públicos.
 
São as OITO PRINCIPAIS LENDAS SOBRE CONCURSOS NO BRASIL:

via GIPHY

  1. “Estudar as provas anteriores garantirá a minha aprovação”
Olhe só: resolver questões anteriores do concurso escolhido e da Banca realizadora é FUNDAMENTAL no seu estudo, mas isso não basta para garantir a sua aprovação. As questões vão te ajudar a entender como está o seu nível de conhecimento sobre cada assunto e o estilo de questionamento das bancas, mas não te darão embasamento teórico para responde-las. Para isso, é necessário estudo e aprofundamento teórico com materiais específicos!

 
  1.  “Nos concursos municipais só pode participar quem mora na cidade”
Esta aqui vale pra qualquer concurso: nenhum certame pode impedir que moradores de outras localidades realizem inscrição e participem das etapas de seleção. O que ocorre é a determinação de local de prova e a especificação em edital de que o concurso não é responsável pelos gastos de locomoção dos candidatos!

 
  1.  “Quem marca a mesma letra em todas as questões tem mais chance de ser aprovado”
Não há um padrão na escolha da distribuição de respostas. Geralmente, há um equilíbrio na distribuição, mas pode ser que também não tenha. Neste caso, marcando apenas uma letra em todo gabarito você pode acertar apenas até 30% da prova, o que não será suficiente para passar no exame.
 
  1.  “Gestantes não tomam posse do cargo público”
Gravidez não caracteriza impedimento qualquer impedimento para posse em cargos públicos. Inclusive, por lei, todos os editais fornecem opção de condições especiais para gestantes, caso comprovada a necessidade via atestado médico.
Em caso de o período de nascimento do bebê coincidir com a apresentação e tomada de posse, a candidata pode entrar com recurso na justiça, podendo ter sua posse adiada legalmente.
 
  1. “Portadores de necessidades especiais não precisam apresentar laudo médico”
Cada edital tem suas especificidades e no que diz respeito a acessibilidade não é diferente. Apesar disso, na maioria das vezes as bancas examinadoras exigem que o candidato entregue um laudo médico após a realização da inscrição. Esse laudo será analizado por uma equipe médica que entenderá se a pessoa atende ou não aos requisitos mínimos descritos em edital - espécie da deficiência, nível, código CID e a provável causa da doença.
 

via GIPHY

  1. “É obrigatório conhecer o Hino Nacional para poder fazer a posse”
Em alguns órgãos o hino é sim cantado no dia da posse dos aprovados. Mas não existe nenhuma norma que os obrigue os aprovados a conhecer a letra (embora seja importante conhece-la. Caso não conheça, clique aqui e veja).
 
  1.  “A carga horária de trabalho pode mudar após o concurso”
A Lei 8.112 de 1990, que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos, declara que a alteração da carga horária só pode ser realizada se estiver em documento previsto por lei e que traga a aprovação do funcionário com relação a esta mudança. Acordos informais entre instituições e concursados não tem validade legal.
 
  1.  É proibida a realização de concursos públicos em ano eleitoral”
Estamos entrando em 2018 e essa é muito importante: é mentira, viu gente? Nada impede que concursos sejam realizados em anos eleitorais. A seleção via concursos não depende dos resultados populares para o executivo, visto que são cargos independentes da eleição. O que pode interferir na realização ou não dos certames é a liberação orçamentária de cada órgão para tal, bem como o planejamento e estruturação. Entretanto, a grande maioria dos concursos acontece de forma natural independente do período de eleições.


E então? Tiramos todas as suas dúvidas?

Se ainda tiver alguma, pode encaminhar para nosso atendimento nas redes sociais da Editora Sanar que tentaremos te ajudar da melhor forma!



3449 Publicações - 0 Seguidores

  • 3449 Publicações