DESAFIO | Ai minha nuca

há 4 meses     -     
DESAFIO | Ai minha nuca

desafio-neuroliga

Área do desafio: Neurologia
 
Apresentação do Caso: OCV, masculino, 36 anos, deu entrada no PA queixando cefaléia muito intensa holocraniana associada  fraqueza, e dores  no corpo principalmente na região da nuca que iniciaram há 48h, juntamente com umas “bolinhas avermelhadas” sobre a pele, fez uso de paracetamol 500mg 6/6h, mas não obteve melhora. Refere que há 12h teve um episódio de vômito intenso e que está tendo perda progressiva da acuidade visual.
Ao exame físico geral: apresentou em bom estado geral, anictérico, acianótico, corada, com boa perfusão tissular, afebril e sem edema.  PA: 110x70mmHg, FC: 98bpm, FR: 18 e Sat O2 96%. SVC: RCR em 2T, sem sopros. SR: MVFs/RA. SD: Abdome flácido, normotenso, RHA presente, sem visceromegalias e indolor a palpação.
Ao exame neurológico: paciente demonstrava se consciente, orientado no tempo e espaço e com marcha atópica.Na avaliação dos pares cranianos, observou se perda subjetiva da acuidade visual e estrabismo convergente à direita. No MMSS e MMII estavam sem perdas consideráveis de força e sensibilidade. Sinal de Kernig positivo.
Logo depois mais de algumas condutas, o médico internou o paciente e solicitou alguns exames que vieram com os seguintes resultados: os exames laboratoriais apresentavam leucocitose com predominância de segmentados, teste de HIV negativo em mais de uma amostra e níveis de CD3 e CD4 dentro da normalidade. O LCR apresentava glicorraquia e aumento considerável de proteínas. A cultura do líquido não ficou pronto a tempo.
 
 
 
Questões e discussão:
 
01) Qual a hipótese diagnóstica?
 
Meningite meningocócica
 
02) Quais diagnósticos diferenciais?
 
Meningite purulenta não bacteriana (viral, tuberculosa, entre outras); Meningite não purulenta; Hemorragia subaracnóidea; Hematoma subdural (pós-traumático); Encefalopatias; Esclerose múltipla; Lúpus eritematoso disseminado; Arterite temporal; Hipertensão arterial maligna; Púrpura trombocitopênica embólica; Tumores cerebrais; Contraturas musculares cervicais (antálgicas ou de origem psicossomática).
 
 
03) Qual a melhor proposta terapêutica?
Anfotericina B lipossomal
 
 
 
 
Referências
 
FOCACCIA, Roberto; VERONESI, Ricardo - Tratado de Infectologia - Volume 1 – 5ª edição, Editora Atheneu, São Paulo, 2015.
 
MACHADO, Angelo B.M.; HAERTEL, Lúcia Machado. Neuroanatomia funcional. 3.ed. São Paulo: Atheneu, 2006.
 
GREENBERG, D. A.; AMINOFF M. J.; SIMONS R. P. Neurologia clínica. 5º edição. São Paulo: Artmed, 2005
 
Autores: Pablo Vinicius Flores e Milena Campos Silva

A Liga Acadêmica de Neurociências (NEUROLIGA), da Faculdade de Medicina da Universidade Federal dos Vales do
Jequitinhonha e Mucuri (FAMED/UFVJM), fundada na cidade de Diamantina, Minas Gerais, no dia 04 de Julho de 2016, é uma entidade civil, apartidária, não religiosa, de duração ilimitada e com caráter multiprofissional, sem fins lucrativos. É formada por acadêmicos matriculados na FAMED/UFVJM e cursando o segundo período ou período posterior, e tem suas atividades sob coordenação e supervisão de um docente da FAMED.

  • 10 Publicações