3561 Publicações -

O que é Residência Multiprofissional em Saúde?

há 6 meses     -     
Programas de Residência Multiprofissional 2017


1. O que é Residência Multiprofissional?
2. Quem pode ser um residente?
3. Como é a rotina durante a residência?
4. Qual é o papel da precepçao durante o programa?


Tem estudante que passa o curso inteirinho pensando na Residência. Alguns dizem que é mais difícil que o vestibular ou mais importante que a graduação em si. E até quem não é da área já pode ter ouvido falar nessa etapa posterior à graduação. Criadas em 2005, as Residências Multiprofissionais em Saúde ainda não são tão famosas, mas merecem todo o holofote e a sua atenção. Nesse artigo, vamos tentar responder as dúvidas mais frequentes sobre o tema, fica com a gente. 

Afinal,  o que é Residência Multiprofissional? 

Em termo técnicos, trata-se de um programa de cooperação intersetorial para favorecer a inserção qualificada dos jovens profissionais da saúde no mercado de trabalho, particularmente em áreas prioritárias do Sistema Único de Saúde. Os príncipios e diretrizes do SUS, inclusive, orientam as Residências, a partir de necessidades e realidades locais e regionais. Podemos dizer que a Residência Multiprofissional em Saúde é uma Pós-Graduação Lato Sensu como todo curso de especialização, só que voltada para a educação em serviço e destinada às categorias que integram a área de saúde.

Os programas de Residência se submetem à Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde - CNRMS que é coordenada conjuntamente pelo Ministério da Saúde e do Ministério da Educação e tem como principais atribuições:
  1. avaliar e acreditar os programas de Residência Multiprofissional em Saúde e Residência em Área Profissional da Saúde de acordo com os princípios e diretrizes do SUS e que atendam às necessidades sócioepidemiológicas da população brasileira; 
  2.  credenciar os programas de Residência Multiprofissional em Saúde e Residência em Área Profissional da Saúde bem como as instituições habilitadas para oferecê-lo; 
  3.  registrar certificados de Programas de Residência Multiprofissional em Saúde e Residência em Área Profissional da Saúde, de validade nacional, com especificação de categoria e ênfase do programa.
Para os que querem ser residentes, cabe frisar que, neste ano de 2018, serão ofertadas vagas em Universidades e Hospitais de todo o Brasil. A temporada de Residências terá início em julho, quando os editais começam a ser lançados. Até lá, vale a pena saber exatamente do que se trata e como se estruturam as Residências Multiprofissionais.

Quem pode ser um residente?

De acordo com a Resolução CNS nº 287/1998, os programas de Residência Multiprofissional devem receber profissionais graduados nos seguintes cursos: Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional. Se certifique de que o seu diploma está validado por uma Instituição de Ensino Superior Brasileira e que você está registrado em seu respectivo Conselho Regional. 

E não importa se você se formou este ano ou há décadas, é possível ingressar em uma Residência Multiprofissional em Saúde a qualquer momento de sua carreira. Isso porque o CNRMS não impõe uma idade limite ou um tempo máximo de atuação na área para que o profissional possa se candidatar a uma vaga. No entanto, as Instituições tem autonomia para estabelecer algumas regras. Como a Universidade Federal Fluminense que, em 2015, só aceitou inscrições de candidatos formados há, no máximo, três anos. Essas e outras particularidades deverão constar no edital de abertura do Programa,  leia tudo com bastante atenção.

Você já passou pela Residência, mas anda paquerando outra área de atuação? Também não tem problema. Procure o Programa que mais lhe atrai e comece tudo de novo - conhecimento, qualificação e realização profisional são sempre bem vindos. O CNRMS só não permite que você tente se especializar mais uma vez na mesma área. Sem flashback, ok?
 

Nutricionista, estude para as Residências Multiprofissionais de 2018/2019.

Veterinário, estude para as Residências Multiprofissionais de 2018/2019

Fisioterapeuta, estude para as Residências Multiprofissionais de 2018/2019.

A rotina do residente é aquilo que a gente vê nas séries do Netflix? 

Para começo de conversa, esqueça o Netflix. O programa de Residência vai demandar de você dedicação exclusiva. Tá, tudo bem, pode assistir uma série ou outra, com moderação e responsabilidade. Só não pode desenvolver outra atividade profissional em paralelo ao treinamento em serviço. Durante dois anos, você irá dedicar 5.760 horas de sua vida às atividades teóricas e práticas. Para garantir seu sustento durante esse período, o Ministério da Saúde oferece ao residente uma bolsa no valor de R$ 3.330,43.  

Já deve ter ficado óbvio, mas vamos reforçar por via das dúvidas: no momento da inscrição em um Programa de Residência Multiprofissional em Saúde, você já deve ter dissolvido qualquer vínculo empregatício. Candidatos que trabalhem serão desclassificados, você não quer perder sua vaga por vacilo. 

Enfermeiro, estude para as Residências Multiprofissionais de 2018/2019
Farmacêutico, estude para as Residências Multiprofissionais de 2018/2019
Dentista, estude para as Residências Multiprofissionais de 2018/2019
Psicólogo, estude para as Residências Multiprofissionais de 2018/2019


Principais benefícios e o papel da precepção na Residência Multiprofissional

No entendimento de Maria Alice Garcia - Profª. Drª. do Departamento de Medicina Social e Preventiva da PUC-Campinas - a aproximação ao cotidiano é o “que permite tornar a educação significativa. Através da vivência de situações, objetiva-se conjugar o processo indutivo de conhecimento ao processo dedutivo”, ou seja, correlacionar conhecimentos práticos e teóricos.

O trabalho em equipe proporcionado ao residente é também uma grande oportunidade de aprendizagem e aperfeiçoamento profissional. Nesse sentido, não se pode esquecer da figura do preceptor nas Residências Multiprofissionais.

Esse profissional tem como principal função ensinar a prática da área de saúde escolhida, por meio de instruções formais e com determinados objetivos e metas. Portanto, entre as suas características marcantes devem estar o conhecimento e a habilidade em desempenhar procedimentos clínicos.

Desse modo, o preceptor se preocupa principalmente com a competência clínica ou com os aspectos de ensino-aprendizagem do desenvolvimento profissional, favorecendo a aquisição de habilidades e competências pelos recém-graduados, em situações clínicas reais, no próprio ambiente de trabalho.

Além disso, não bastando a super experiência, cumprir uma Residência lhe oferecerá vantagens como: 1) Ser bem remunerado com uma bolsa-trabalho ao longo de todo o Programa ; 2) obtenção de título de especialista que atestará a sua competência na área ; 3) network: possibilidade de ser requerido profissionalmente pelos setores onde seus estágios foram desenvolvidos.

Enfim, não faltam razões para encarar com determinação o objetivo de ser um residente no ano de 2018/2019! E, para isso, é preciso focar na preparação para o processo seletivo, que é muito semelhante às seleções de concursos públicos e aborda temas específicos da área profissional elegida bem como noções fundamentais sobre o Sistema Único de Saúde.

Vamos iniciar a maratona de estudos agora mesmo?

Corre aqui e confira as melhores dicas de materiais: NUTRIÇÃO | MEDICINA VETERINÁRIA | FISIOTERAPIA | ENFERMAGEM | FARMÁCIA | ODONTOLOGIA | PSICOLOGIA

+ Conheça as 5 principais Residências em Medicina Veterinária abertas no último ano!



3561 Publicações - 0 Seguidores

  • 3561 Publicações