TDAH

há 1 ano     -     
TDAH

O transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) é caracterizado por um padrão persistente de dificuldades de atenção, agitação motora e impulsividade. Ele geralmente tem início na infância e persiste ao longo do desenvolvimento.

O TDAH está frequentemente associado a transtornos psiquiátricos comórbidos, o que se relaciona a pior prognóstico, incluindo maiores prejuízos sociais, emocionais e psicológicos.

Alterações nos sistemas dopaminérgico e noradrenérgico são propostas como as disfunções principais do TDAH, e são nesses sistemas que as medicações estimulantes atuam.

O TDAH é caracterizado por sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade, que podem ocorrer em combinação ou isoladamente. Os primeiros sinais e sintomas podem aparecer na infância e, muitas vezes, já podem ser detectados na fase pré-escolar, como agitação importante, acidentes repetidos e dificuldade em permanecer atento a atividades por curtos períodos. Na idade escolar, os sintomas de desatenção manifestam-se como “sonhar acordado”, distratibilidade, mudanças rápidas de uma tarefa para outra por causa da dificuldade de se focar em uma única atividade que não seja motivadora por período prolongado. Sintomas de hiperatividade e impulsividade manifestam-se como inquietude, fala excessiva, dificuldade de relaxar, dificuldade de esperar a vez, respostas precipitadas, entre outros.

Os sintomas de hiperatividade e impulsividade tendem a ser mais evidentes nas fases mais precoces do desenvolvimento e a diminuir com o tempo, enquanto a desatenção torna-se mais evidente na fase escolar e tende a permanecer mesmo após a melhora da hiperatividade e impulsividade. Na adolescência, a hiperatividade tende a melhorar ou tornar-se menos evidente, passando a ser descrita como uma sensação de inquietude, enquanto a desatenção e impulsividade podem ser proeminentes, levando a problemas como dificuldades acadêmicas, conflitos com pais e colegas e alto risco para uso de substâncias (álcool, tabaco e drogas ilícitas), principalmente naqueles casos em que o TDAH está associado a transtorno de conduta. Na fase adulta, os sintomas costumam reduzir, em geral persistindo desatenção, desorganização, procrastinação e impulsividade cognitiva. Além disso, são frequentes, na fase adulta, prejuízos como dificuldades acadêmicas e ocupacionais e problemas de relacionamento, salientando a importância de se fazer diagnóstico e intervenção precoce na infância a fim de evitar os prejuízos futuros.

 

Referências: Tratado de pediatria : Sociedade Brasileira de Pediatria / organizadores Dioclécio Campos Júnior, Dennis Alexander Rabelo Burns. -- 3. ed. -- Barueri, SP : Manole, 2014.

Compêndio de clínica psiquiátrica/ editores Orestes Vicente Forlenza, Euripedes Constantino Miguel. - Barueri, SP : Manole, 2012

VEJA TAMBÉM

Caso Clínico de Neurologia

Trabalhos em Grupo na Faculdade: Aprendizados e Desafios

Cirrose hepática em doente jovem - caso clínico e revisão da literatura.

  • 8 Publicações