Os 10 assuntos mais cobrados em provas de Concursos para Psicólogos

há 7 meses     -     
Os 10 assuntos mais cobrados em provas de Concursos para Psicólogos


Você – com certeza -  já parou para se perguntar:
 
“O que realmente preciso estudar para concursos em psicologia?”
 
Claro que a resposta para esta pergunta não é simples, afinal cada edital tem a sua série de assuntos específicos.
 
Porém olhando vários editais, dá para perceber que muitos assuntos são recorrentes em provas diferentes. E para você não precisar olhar centenas de provas e milhares de questões, para descobrir quais os assuntos que mais caem, fizemos isso para você!
 
Lembrando que estes assuntos não estão em ordem específica de cobrança, apenas selecionamos os 10 mais recorrentes. 
 
CONHEÇA O PREPARATÓRIO DEFINITIVO PARA CONCURSOS EM PSICOLOGIA, CONHEÇA O PREPARATÓRIO SANARPSI
 
  1. Funções psíquicas e suas alterações (Psicopatologia)
 
Onde apareceu o assunto recentemente? - NA PROVA DO TRE-RJ em 2017 e na EBSERH – UFS, também em 2017
 
(PSICÓLOGO – SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE CHAPECÓ – OBJETIVA CONCURSOS) Segundo Dalgalarrondo (2000), dentre alterações qualitativas da sensopercepção, em que há uma percepção deformada de um objeto real e presente, podendo ocorrer em três condições: no estado de rebaixamento do nível da consciência; nos estados de fadiga grave ou de inadequação marcante e em determinados estados afetivos. Esta alteração refere-se a impulsos que entram na mente do indivíduo.
a) Ilusões.
b) Delírios.
c) Alucinações.
d) Delírium.
e) Pseudo-alucinações.
 
Alternativa A: CORRETA. A principal característica da Ilusão – a qual é uma alteração da sensopercepção – é a percepção deformada de um objeto, contudo este objeto é real e está presente. É um sintoma comum na psicose aguda e também na esquizofrenia.
 
Alternativa B: INCORRETA. O delírio é uma alteração do pensamento sendo um sintoma característico dos quadros de psicose como a esquizofrenia e como o transtorno delirante persistente. Também pode aparecer como sintoma nos episódios maníacos do Transtorno Bipolar ou ainda pode estar presente na depressão psicótica.
 
Alternativa C: INCORRETA. A alucinação apesar de uma alteração da sensopercepção tem como característica principal o fato da percepção ser clara e definida quanto a presença de um objeto (voz, ruído e/ou imagem) porém sem a presença real deste objeto.
 
Alternativa D: INCORRETA. O delírium é uma alteração presente nos transtornos orgânicos tendo como característica grande confusão mental aguda e desorientação.
 
Alternativa E: INCORRETA. A pseudo-alucinação é aquela na qual a imagem acaba por adquirir um aspecto de percepção real sendo fruto de uma grande atividade da imaginação. Na literatura atual sugere-se que frente a característica ambígua deste termo possamos utilizar os conceitos de alucinação psicótica e alucinação não-psicótica para definir melhor os quadros sintomáticos apresentados pelo paciente.
 
 
  1. Documentos psicológicos
(já tinha uma recorrência bem alta, é provável que seja ainda mais recorrente nas provas, com a nova resolução)
 
Onde apareceu o assunto recentemente? - NA PROVA DO TRE – SP e TRE- BA, em 2017
 
 
(PSICÓLOGO - SESACRE - FUNCAB) A declaração é um dos documentos produzidos por psicólogos. Marque a alternativa que indica o que NÃO pode ser registrado no referido documento.
 
a) O acompanhamento psicológico do atendido.
b) Sintomas, situações ou estados psicológicos.
c) Informações sobre as condições do atendimento.
d) Comparecimento do atendido e/ou acompanhante.
e) Ocorrência de fatos ou situações objetivas relacionadas ao atendimento psicológico
 
Alternativa A: INCORRETA. Informações sobre o acompanhamento são objetivas.
Alternativa B: CORRETA. Sintomas, situações ou estados psicológicos, não podem ser mencionados na declaração, mas sim num atestado, laudo/relatório ou parecer.
 
Alternativa C: INCORRETA. Condições de atendimento são informações objetivas.
 
Alternativa D: INCORRETA. Comparecimento do paciente e/ou acompanhante são informações objetivas.
 
Alternativa E: INCORRETA. A alternativa apresenta os principais objetivos de uma declaração.
 
 
  1. Código de Ética Profissional
(maior recorrência: princípios fundamentais do psicólogo, o que é vetado ao psicólogo)
 
Onde apareceu o assunto recentemente? - NA PROVA DO MPE-BA em 2017 e na TJ-MS, 2017
 
 
(PSICÓLOGO - TRT 18º REGIÃO - FCC - 2013) Segundo o Código de Ética Profissional do Psicólogo, é vetado ao psicólogo prestar serviços profissionais a organizações concorrentes de modo que possam resultar em prejuízo para as partes envolvidas, decorrentes de informações:
 
a) divulgadas.
b) negociadas.
c) limitadas.
d) polêmicas.
e) privilegiadas.
 
Alternativa A: INCORRETA.  O Item ‘q’ do Art. 2º do Código de Ética Profissional do Psicólogo fala sobre ser vetado ao psicólogo a divulgação de procedimentos e resultados em meios de comunicação de forma a expor pessoas, grupos ou organizações, não tratando sobre organizações concorrentes.
 
Alternativa B: INCORRETA. O item ‘p’ do Art. 2º do Código de Ética Profissional do Psicólogo2 discorre sobre ser vetado ao profissional da Psicologia receber, pagar remuneração ou porcentagem por encaminhamentos de serviços, o que poderia ser considerado negociação, independente de ser em relação a organizações concorrentes.
 
Alternativa C: INCORRETA. O Código de Ética Profissional do Psicólogo2 não aborda limitações quanto a prestar serviços profissionais a organizações concorrentes. Apenas aborda, no Art. 2º, a prestação de serviços profissionais a organizações concorrentes de modo que possa resultar em prejuízo para as partes envolvidas, decorrentes de informações privilegiadas.
 
Alternativa D: INCORRETA. O Item V dos Princípios Fundamentais do Código de Ética Profissional do Psicólogo2 afirma que o psicólogo contribuirá para promover a universalização do acesso da população às informações, ao conhecimento da ciência psicológica, aos serviços e aos padrões éticos da profissão. Não caberia, e, por assim dizer, estaria o profissional vetado a opinar de forma polêmica, independente de qual contexto se refira, não se restringindo este fato a organizações concorrentes.
 
Alternativa E: CORRETA. O Art. 2º do Código de Ética Profissional do Psicólogo2 menciona o que é vetado ao psicólogo, e no item ‘m’ traz expressamente que é vetado ao profissional prestar informações privilegiadas a organizações concorrentes de maneira que possa resultar em algum prejuízo para as partes envolvidas.
 
 
  1. Psicodiagnóstico
(Conceito e elementos do processo psicodiagnóstico. Os procedimentos e etapas necessárias ao desenvolvimento do diagnóstico)
 
Onde apareceu o assunto recentemente? - NA PROVA DO TRE-BA e TJ-SP, em 2017
 
(PSICÓLOGO - MAPA - CONSUPLAN - 2014) Dentre os passos do processo psicodiagnóstico, Cunha (2000) afirma que existe uma expressão utilizada para designar um conjunto de testes ou de técnicas, que podem variar entre dois e cinco ou mais instrumentos. Esses são incluídos no processo psicodiagnóstico para fornecer subsídios que permitam confirmar ou infirmar as hipóteses iniciais, atendendo o objetivo da avaliação. A expressão mencionada por Cunha (2000) recebe o nome de:
 
a) bateria de testes.
b) técnicas projetivas.
c) conjunto de técnicas.
d) técnicas psicométricas.
 
Alternativa A: CORRETA. A bateria de testes é usada no processo psicodiagnóstico, visto que este conjunto de instrumentos psicológicos se destina à classificação, investigação, avaliação e padronização das funções psíquicas do avaliado.
 
Alternativa B: INCORRETA. A técnica projetiva trata-se de um tipo de avaliação que tem por objetivo facilitar o pensamento e ativar o emocional, para que conteúdos latentes possam ser acessados, incentivando o imaginário para além da expressão verbal.
 
Alternativa C: INCORRETA. A expressão ‘conjunto de técnicas’ restringe o psicodiagnóstico, de maneira que não contempla a utilização necessária dos testes psicológicos, que são ferramentas estruturadas e padronizadas para auxílio na construção do diagnóstico.
 
Alternativa D: INCORRETA. Apenas a utilização de técnicas psicométricas não é suficiente para um bom processo psicodiagnóstico, visto que estas se detêm apenas nas amostras de comportamento de um indivíduo, de maneira a mensurar um repertório ou deduzir um construto psicológico que possa ser comparável e repetido.
 
 
  1. Principais quadros psicopatológicos
(Descrições e sintomatologia associada aos principais transtornos e disfunções psicopatológicas. Compreensão e diagnóstico a partir de casos clínicos apresentado. Quadros muito recorrentes: transtornos depressivos, transtornos ansiosos e transtornos de personalidade).
 
Onde apareceu o assunto recentemente?  NA PROVA DO TRE-RJ em 2017 e TRE-SP, também em 2017
 
(PSICÓLOGO - MAPA - CONSUPLAN) Dentro dos fatores sociais na anormalidade, o autor Cordioli (2008) menciona “um tipo de transtorno que é uma condição clínica primária, com uma prevalência geral na população de 68%, sendo considerado o quarto transtorno mental mais comum. A presença desse quadro é um fator de risco à manifestação de outros transtornos mentais, sobretudo transtornos de ansiedade, humor e abuso de substâncias.” Os dados mencionados anteriormente referem?se ao transtorno:
 
a) bipolar.
b) do pânico.
c) somatoforme.
d) de estresse pós traumático.
 
Alternativa A: INCORRETA. Não são características do transtorno afetivo bipolar os transtornos de ansiedade e de humor ou abuso de substâncias. Ele se caracteriza pela alternância e/ou predominância de episódios de euforia e depressão.
 
Alternativa B: INCORRETA.  O transtorno de pânico é um transtorno de ansiedade caracterizado especialmente por um intenso medo e/ou mal-estar que apresenta sintomas físicos e cognitivos e inicia de forma brusca, causando, no sujeito, medo de morrer persistente e/ou recorrente.
 
Alternativa C: INCORRETA. O transtorno somatoforme se caracteriza especialmente, na perspectiva médica como sendo um quadro no qual a ‘doença’ persiste, apesar dos transtornos físicos presentes não explicarem nem a natureza, nem a extensão dos sintomas apresentados. O mesmo traz como predicado a busca persistente de assistência médica e de apoio nos familiares e nos amigos.
 
Alternativa D: CORRETA. As características apresentadas tem pertinência com o quadro de estresse pós-traumático, visto que este traz no seu bojo a ocorrência dos sintomas em resposta a uma situação ou evento estressante, que pode ser de curta ou de longa duração e de natureza especialmente ameaçadora ou catastrófica. É importante perceber que o quadro de estresse pós?traumático pode ser um gatilho para manifestação de outros transtornos mentais, como transtornos de ansiedade e transtorno de humor, bem como abuso de substâncias, todos estes considerados como comorbidades.
 
 
  1. Psicologia do Desenvolvimento
(Contribuições de Erikson e Winnicott)
 
Onde apareceu o assunto recentemente? - NA PROVA DO TJ-SP em 2017 e TJ-PR, também em 2017
 
A teoria do desenvolvimento psicossocial de Erikson, psicanalista, propõe oito estágios durante o ciclo vital. Cada um deles envolve uma “crise” na personalidade, que surge de acordo com a maturação do indivíduo e deve ser satisfatoriamente resolvida para um desenvolvimento saudável do ego. Segundo esta teoria, na adolescência,
 
a) a produtividade e a autoestima encontram-se como elementos principais da crise.
b) o esforço do adolescente para compreender sua identidade é parte de um processo saudável e vital, fundamentado nas realizações dos estágios anteriores, e estabelece as bases para enfrentar as crises da vida adulta.
c) a possibilidade de envolver-se de forma profunda com outras pessoas é um dos principais focos da crise de identidade.
d) não ocorrerá atualizações de períodos anteriores, pois, uma vez superados os conflitos da infância, esses não têm mais papel de importância na vida do sujeito.
e) a identidade pode se desenvolver de duas formas: 1) pelo processo de diferenciação e de integração; 2) pelo processo de substituição.
 
Alternativa A: INCORRETA. A produtividade é um elemento fundamental no 4º estágio de desenvolvimento humano e corresponde à percepção da criança como capaz de produzir e sentir-se competente. "O prazer de brincar e o interesse, que antes era exclusivamente voltado a seus brinquedos, são gradualmente desviados para interesses por ações mais produtivas e ao aprendizado de habilidades sociais adequadas" (Chiuzi, Peixoto e Fusari, 2011).
 
A percepção dessa capacidade por parte da criança está vinculada com a sua autoestima. Porém, a autoestima não corresponde, especificamente, a nenhum aspecto dentre os diversos estágios presentes na teoria do desenvolvimento psicossocial de Erikson.
 
Alternativa B: CORRETA. Durante o período da adolescência, o indivíduo reorganiza os elementos identitários formados na infância e busca a formação de uma identidade própria. É nessa fase que o adolescente adquire um senso de identidade psicossocial, ou seja, percebe-se como sujeito singular e compreende o seu papel no mundo. É um estágio que os indivíduos se veem repletos de possibilidades e potencialidades.
 
Alternativa C: INCORRETA. A intimidade refere-se ao 6º estágio do desenvolvimento psicossocial e é subsequente à fase da adolescência. É um período em que o jovem adulto adquire a capacidade de unir a sua identidade com a de outra pessoa sem que com isso desenvolva o receio de perder algo de si.  É um momento no qual se busca um parceiro para construir uma relação sólida, tendo o amor como produto final.
 
Alternativa D: INCORRETA. Como dito na alternativa B, na adolescência, o indivíduo reorganiza os elementos identitários formados na infância e busca a formação de uma identidade própria. Há uma recapitulação e redefinição dos aspectos identitários adquiridos na fase infantil.
 
Alternativa E: INCORRETA. Na adolescência, a identidade se desenvolve a partir apenas dos processos de diferenciação no qual o adolescente percebe-se como singular e de integração das transformações pessoais, das exigências da sociedade e das expectativas quanto ao futuro.
 
 
  1. Psicanálise
(As teorias e o fazer clínico oriundos dos estudos de diversos autores, tanto psicanalistas quanto aqueles se originaram a partir dessa abordagem)
 
Onde apareceu o assunto recentemente? - NA PROVA DO SEJUDH-MT, em 2017 e TRE-BA, em 2017
 
(PSICÓLOGO - MAPA - CONSUPLAN ) “Freud, sentindo que, em alguns momentos, o método de livre associação podia não funcionar livremente, e cedo ou tarde os pacientes chegavam a um ponto das recordações se sentindo incapacitados ou indispostos para continuar, desenvolveu o termo resistência dentro da teoria psicanalítica.” (Dane P. Schultz, 2006). Na visão psicanalítica Freudiana, a resistência deriva da:
 
a) psicose.
b) angústia.
c) neurose.
d) repressão.
 
 
 
Alternativa A: INCORRETA. A psicose para Psicanálise consiste no conflito do “Eu” com o mundo externo. Assim, o “Eu” fracassa em sustentar-se fiel ao mundo externo e tenta com isso emudecer o Id. Frente a isso o “Eu” é sobrepujado pelo Id e consequentemente apartado da realidade. Desta maneira, se estabelece, para Sigmund Freud, o entendimento da psicose.
 
Alternativa B: INCORRETA. Considerando que Angústia3 vem do latim – angor, que significa ‘angustura, estreitamento, apertamento', a ideia psicanalítica de angústia é caracterizada pela ausência do objeto, ou pela perda de um objeto. Não se trata de um objeto em particular, mas do objeto da psicanálise, o chamado objeto a.
 
Alternativa C: INCORRETA. A ideia psicanalítica da neurose diz que esta se refere a qualquer desequilíbrio mental que causa angústia e ansiedade3, sem impedir ou afetar, entretanto, o pensamento racional.
Alternativa D: CORRETA. A resistência deriva da repressão, sendo um dos mecanismos de defesa inconscientes, no qual as ideias e os impulsos inaceitáveis e/ou indesejáveis para a consciência são suprimidos, e assim, impedidos de entrar no estado consciente.
 
 
  1. Psicologia do Desenvolvimento e contribuições de Piaget
 
Onde apareceu o assunto recentemente? - NA PROVA MPE-BA e do DPE- RS, em 2017
 
(PSICÓLOGO - UPE/PE - CONUPE ) Ao abordar o desenvolvimento moral, Piaget considera uma fase que pode ser caracterizada nos seguintes termos: A regra confunde-se com o hábito: há regularidades, mas a criança não as sente como obrigatórias, ou seja, não há normas propriamente ditas (Freitas, 2002). Assinale a alternativa que identifica, corretamente, essa que é a primeira fase do desenvolvimento moral.
 
a) Heteronomia.
b) Egocentrismo.
c) Autonomia.
d) Altruísmo.
e) Anomia
 
Alternativa A: INCORRETA. Heteronomia é a fase em que a criança, que tem entre dois e oito anos, apresenta interesse por atividades coletivas e regradas. Ela percebe as regras como absolutas, imutáveis e intangíveis. As regras têm caráter sagrado e qualquer modificação delas, mesmo que com o consentimento dos outros jogadores, é vista como proibida ou como uma "trapaça"16.
 
Alternativa B: INCORRETA. Egocentrismo refere-se à tendência de crianças pequenas elegerem o ponto de vista próprio como absoluto ou o mais verdadeiro. Dificuldade de se colocar no lugar dos outros. Pode significar também que a criança ainda não tem domínio de seu "eu" e que, longe de ser autônoma, ainda é heterônoma nos seus modos de pensar e agir.
 
Alternativa C: INCORRETA. Na fase da autonomia a criança está com 8 a 12 anos. Caracteriza-se por uma moral de igualdade ou de reciprocidade na qual as regras são percebidas como estabelecidas e mantidas por acordos sociais. As regras são vistas como leis e o respeito a elas é obrigatório. A partir dos 10 anos, a criança percebe que determinadas regras podem sofrer alterações, contanto que os outros à sua volta permitam tais mudanças. É semelhante à visão adulta das regras.
 
Alternativa D: INCORRETA. O altruísmo não é um conceito-chave na teoria de Piaget. Altruísmo refere-se a ações pró-sociais com o objetivo de permitir ou aprovar as necessidades de outras pessoas. Relaciona-se ao fato de o indivíduo depositar menos importância na resolução dos seus objetivos ou anseios, limitar proveitos pessoais e demonstrar maior disposição em beneficiar e se dedicar aos outros.
 
Alternativa E: CORRETA. Na anomia, as crianças têm até 5 ou 6 anos. Nesta fase, as crianças não têm consciência de obrigação e, portanto, a regra ainda não é coercitiva ou obrigatória. Ela é puramente motora. A criança pode até participar de atividades coletivas, mas é antes com o intuito de satisfazer seus interesses motores ou fantasias e não para participar de atividades com outras pessoas.
 
 
  1. Atendimento em Saúde
(Todas as modalidades de atendimento que podem ser oferecidas pelo Psicólogo dentro das instituições de Saúde.)
 
Onde apareceu o assunto recentemente? - NA PROVA DO EBSERH – UFS em 2017  e IF- SP também em 2017
 
(PSICÓLOGO – PREFEITURA DE MODELO/SC - ICAP – 2016) O trabalho do Psicólogo nos serviços de Atenção à Saúde deve estar voltado para atividades de promoção, visando à melhoria da qualidade de vida da população. A respeito do trabalho do Psicólogo na Atenção à Saúde assinale a alternativa correta:
 
a) As atividades da Psicologia da Saúde são focadas exclusivamente para a atenção de cuidados ao nível primário da saúde, visto a demora de mudanças para as novas modalidades de inserção de trabalho do Psicólogo no contexto da Saúde Pública.
b) É um campo que se destina principalmente para o atendimento individual, visto que a formação a própria em Psicologia é marcada pela hegemonia da Psicologia Clínica.
c) Na Psicologia da Saúde, o Psicólogo não compreende através de uma visão global do indivíduo para que determinados aspectos psicológicos possam estar associados a problemas médicos.
d) Estão como algumas das atribuições do Psicólogo nesta área a sua obrigatoriedade com propostas apenas educacionais de promoção da saúde.
e) Uma das propostas de trabalho do Psicólogo neste âmbito são a promoção e a manutenção da saúde, a prevenção, tratamento da doença, assim como as melhorias na sistemática de cuidado e formulação de políticas de saúde.
 
 
Alternativa A: INCORRETA. A atuação da psicologia também se dá nos níveis secundário e terciário de atenção à saúde. Não se restringe ao nível primário.
 
Alternativa B: INCORRETA. A formação do psicólogo é um tema bastante discutido e uma das ideias que se defende é a adoção de matrizes curriculares mais abrangentes, interdisciplinares e multirreferenciadas, englobando a atuação da psicologia em diversos contextos (comunidade, unidades de saúde, organizações, instituições educativas etc.).
 
Apesar da identidade profissional da psicologia ainda se encontrar estreitamente relacionada ao modelo clínico, principalmente no que se refere à representação social que se construiu em torno do fazer psicológico, as formas de intervenção no campo da Atenção à Saúde tem se distanciado da clínica. As práticas de cunho social, grupal e com caráter de prevenção e promoção da saúde, tem sido consideradas ações eficazes no âmbito da saúde pública.
 
Alternativa C: INCORRETA. A psicologia defende uma compreensão biopsicossocial dos fenômenos relativos ao processo saúde-doença. Ao contrário do que se afirma nesta alternativa, a Psicologia defende uma visão abrangente do ser humano e estuda os fatores psicossociais subjacentes ao adoecimento.
 
Alternativa  D: INCORRETA. Educar para saúde constituiu um dos eixos de atuação da psicologia no trabalho de promoção da saúde, mas não existe essa obrigatoriedade que se restrinja apenas a este aspecto. O(a) psicólogo(a) atua em diversos níveis, nos programas de prevenção, nos serviços de habilitação e reabilitação, na gestão da saúde, em ações de suporte à equipe, em situações de risco e vulnerabilidade etc.
 
Alternativa E: CORRETA. Todas as propostas de trabalho listadas nesta alternativa são pertinentes à atuação dos profissionais de psicologia nos serviços de Atenção à Saúde.
 
 
  1. Psicologia do Desenvolvimento e contribuições de Vygostky
 
Onde apareceu o assunto recentemente? - NA PROVA DO IFF- SP, em 2018 e TRA-BA, em 2017
 
Para Vygotsky, o desenvolvimento do pensamento compreende uma etapa na qual a criança forma amontoados de objetos sem nenhuma relação factual ou concreta. Os objetos se aproximam de um significado comum não por força de seu próprio traço, mas pela semelhança que entre eles se estabelece nas impressões da criança. Tal estágio é denominado de pensamento
 
a) formal.
b) por complexo.
c) por conceitos.
d) sincrético.
e) lógico.
 
Alternativas A: INCORRETA. Existem apenas três estágios do desenvolvimento do pensamento na teoria de Vygotsky: estágio do pensamento sincrético, estágio do pensamento por complexos e estágio do pensamento por conceitos. O pensamento formal é amplamente discutido na teoria de Piaget. Ele se desenvolve amplamente a partir dos 11 ou 12 anos de idade e durante a adolescência e se caracteriza por uma inteligência reflexiva em que o adolescente passa a raciocinar de maneira hipotético-dedutiva. Significa raciocinar sobre formas e para além da ação e da realidade. 
 
ALTERNATIVA B: INCORRETA. Ao lidar com objetos, a criança associa os seus componentes com base na sua similaridade e os une por meio de associações mais concretas e factuais17. Alternativas
 
ALTERNATIVA C: INCORRETA. No pensamento por conceitos, a criança agrupa os objetos de acordo com um atributo do objeto, diferentemente do complexo que agrupa em diversos atributos. Neste estágio, que levará a formação de conceitos, a criança é capaz de abstrair determinadas características individuais dentro de toda a totalidade da experiência concreta.
 
ALTERNATIVA D: CORRETA. No pensamento sincrético, a criança agrupa objetos com base em associações vagas, particulares e na sua própria percepção, como, por exemplo, a proximidade espacial entre os objetos. São associações instáveis e quase sempre não envolvidas com características essenciais dos objetos.
 
ALTERNATIVA E: INCORRETA. O pensamento lógico não é um estágio do desenvolvimento proposto por Vygotsky.
 


66 Publicações - 2 Seguidores

  • 66 Publicações