5 Publicações -

Trabalhos em Grupo na Faculdade: Aprendizados e Desafios

há 1 ano     -     
Trabalhos em Grupo na Faculdade: Aprendizados e Desafios

Olá, queridos leitores! Hoje nós viemos aqui falar de um assunto que, não importa qual faculdade você estiver cursando, é muito presente na vida universitária: os trabalhos em grupo.

Constantemente durante nossos cursos somos exigidos a colaborar com nossos colegas para escrever textos, preparar projetos, elaborar apresentações e, no caso específico da medicina, até atender pacientes e participar de cirurgias em conjunto.

Em todos esses casos, poder contar com uma equipe para realizar o trabalho tem seus muitos benefícios. Porém, é praticamente impossível escapar de algumas frustrações com as divergências de opiniões, compartilhamento de responsabilidades e outros desafios inerentes aos relacionamentos interpessoais. Com este texto, queremos compartilhar algumas de nossas experiências de como melhor aproveitar os trabalhos em grupo de forma que cada membro possa contribuir de forma satisfatória e haja maior harmonia possível na equipe.


Aprendendo a Aceitar Diferenças de Opiniões


Parece óbvio, mas o primeiro passo para um bom trabalho em equipe é entender que a maior dificuldade será agregar pensamentos, bagagens culturais e estratégias diferentes em um mesmo grupo. Este fato é tão desafiador pois não existe fórmula exata para conseguir atingir esse objetivo, uma vez que cada conjunto de pessoas terá suas peculiaridades. Porém, se todos os membros entenderem que a opinião de ninguém será 100% contemplada e que, no fim das contas, todos terão que ceder um pouco já é um ótimo começo.

É claro que deverão acontecer algumas discussões para decidir que direcionamento seguir. Nesses momentos, deve prevalecer o bom senso para que todos os argumentos sejam dados de maneira respeitosa enfatizando razões e aplicações práticas, sem nunca levar para um lado mais pessoal. Assim, o grupo como um todo terá a capacidade de ponderar as possibilidades juntamente com o contexto em que elas se inserem para, dessa forma, optar por um ou outro caminho.

Aproveite o melhor que cada um tem a oferecer

Assim como opiniões diferentes, as pessoas também possuem habilidades distintas e facilidades para realizar determinadas tarefas. Uma boa estratégia para se dividir as funções em um trabalho em grupo é aproveitar essas qualidades de cada um. Se um membro do grupo tem facilidade para escrever ou gosta de pensar na parte estética ou
gosta de procurar boas referências bibliográficas, por que não usar essas capacidades para beneficiar o trabalho?

Uma maneira prática de colocar isso em prática é deixar cada membro responsável em coordenar uma tarefa. Isso não quer dizer de forma alguma que a pessoa fará todo trabalho ou decidirá sozinha o que será feito, mas ela poderá contribuir com sua experiência e entusiasmo para o crescimento e progressão de ideias na função pela qual ela estiver responsável. Todos podem aprender muito com essa metodologia.

Além disso, quando ficamos responsáveis por muitas funções de uma vez só podemos acabar tendo dificuldade para nos organizarmos e isso pode levar a falhas em suas realizações. Por isso, uma das maiores vantagens desse método é não sobrecarregar as pessoas do grupo, mas sim fazer com que elas fiquem concentradas no bom andamento e progresso dentro de prazos estabelecidos em um dos aspectos do trabalho.

Falando desse mesmo ponto agora em situações mais práticas na medicina: quando somos exigidos a trabalhar em grupos atendendo pacientes por exemplo, podemos observar os diferentes estilos de atuação de nossos colegas e absorver alguns conhecimentos ou técnicas sobre as quais eles possuem um maior domínio, seja alguma manobra em um exame físico, alguma prática cirúrgica ou forma de conversar com o paciente. Devemos aprender uns com os outros, observando as qualidades que cada um tem, sem necessidade de nutrir competitividades desnecessárias.

Responsabilidade e Espírito de Equipe

Em qualquer tarefa universitária devemos ter responsabilidade de tentar fazer um trabalho bem feito e entregá-lo no prazo. Mas quando estamos em uma situação de trabalho em grupo nossa atenção deve ser especial uma vez que nossas ações têm repercussões não apenas em nós mesmos mas também no desempenho das pessoas ao nosso redor. Portanto, sempre devemos ser organizados quanto ao progresso do trabalho e, se for necessário, pedir ajuda caso haja algum imprevisto ou dificuldade com a tarefa.

Importância do Trabalho Multidisciplinar na Saúde

Saber trabalhar em grupo é essencial em qualquer área, mas os profissionais da saúde têm o privilégio de realmente participar de uma equipe multidisciplinar em prol do bem estar do indivíduo. Apesar de nunca ter sido correto a prática isolada do médico, hoje mais do que nunca é impossível se pensar que o médico é capaz de resolver todos os problemas e oferecer um cuidado integral para seus pacientes. Por causa disso, todos nós temos o dever de aprender a trabalhar com uma equipe multiprofissional.

Nesse sentido, todos os pontos que já citamos são importantes: primeiramente devemos entender a importância de cada um dos membros, sendo que todos contribuirão com seus conhecimentos para uma finalidade comum. Como em qualquer outra situação, divergências de opinião poderão aparecer, porém, se todas as discussões forem realizadas com respeito mútuo e com base na argumentação lógica, não há motivo para brigas de motivo pessoal. Por fim, a responsabilidade e espírito de equipe deverão sempre estar presente. Com isso, todos têm a ganhar, tanto os membros da equipe por proporcionarem um ambiente mais agradável e propício para o trabalho como, principalmente, a pessoa que estiver sob cuidados desses profissionais.

Conclusão
Não importa qual área você resolva seguir: não será possível escapar dos trabalhos em grupo, tanto no período universitário como quando estivermos atuando profissionalmente. Por isso, é essencial que aprendamos a lidar com esse tipo de situação, sempre com boas relações interpessoais e levando o máximo de aprendizado de cada uma dessas experiências.

Esperamos que tenham gostado do tema que escolhemos para discutir hoje. Qualquer dúvida, estamos à disposição!

Abraços, amigos!

Bianca Gabriela e Fabio Yuji - Vlog Mediários

VEJA TAMBÉM

Caso Clínico - Pneumologia na Sala de Emergência

Cirrose hepática em doente jovem - caso clínico e revisão da literatura.

Caso clínico: tuberculose pulmonar

5 Publicações - 10 Seguidores

  • 5 Publicações