TROMBOEMBOLISMO CEREBRAL

há 1 ano     -     
TROMBOEMBOLISMO CEREBRAL

F.S.V, masculino, 36 anos, solteiro, branco, evangélico, ensino superior incompleto, estudante, natural de São Luís e residente de São José de Ribamar. Compareceu à consulta ambulatorial referindo cefaleia crônica associada a episódios de tontura há cerca de 1 ano. Relata que a dor é de localização difusa, opressiva e mais frequente durante a noite, com episódios quase sempre diários de até no máximo algumas horas de duração. Piora quando está estressado e melhora apenas com analgésicos e repouso. Nega episódios de síncope e quaisquer outros sintomas associados. Apresenta como comorbidades paralisia infantil com hemiparesia à esquerda. Nega HAS e DM. Nega tabagismo e etilismo. Possui antecedentes familiares de DCV. Não pratica atividades físicas regularmente. Carteira de vacinação regular. Reside com sua mãe em casa de alvenaria com saneamento básico e acesso à coleta de lixo regular. Não possui animais de estimação. Renda familiar suficiente para manter condições adequadas de moradia. EXAME FÍSICO: PA: 110 x 70 mmHg; FR: 20 irpm; FC: 80 bpm; Peso: 55,4kg; Altura: 1,50cm; Tax: 36 ºC. Aparelho Cardiovascular: Ritmo cardíaco regular em 2 tempos, bulhas normofonéticas, sem sopro. Aparelho Respiratório: Eupneico, murmúrio vesicular presente bilateralmente, sem ruídos adventícios. Exame neurológico: Bom estado geral, lúcido e orientado. Glasgow 15. Hemiparesia à esquerda. EXAMES LABORATORIAIS Hemograma normal, Tempo de Tromboplastina Parcial Ativa incoagulável até 120 s, Atividade de Protrombina 32%, INR 2,16, Tempo de Protrombina 23,5, Bilirrubina Total 1,81 Direta 0,66 Indireta 1,15, TGO 18, TGP 11, Uréia 19, Creatinina 0,53 e CPK 132 EXAMES DE IMAGEM Ressonância magnética de crânio: Formação expansiva extra-axial sólida lobulado medindo 3,3x4x3cm na cisterna do ângulo ponto cerebelar à direita, estendendo-se ao seio cavernoso a cavum de meckel em contato com carótida interna. Angiografia cerebral: lesão expansiva que se estende desde a porção cervical até a fossa posterior, comprimindo em 50% a 60% da luz carótida a nível cervical alto. CONDUTA Embolização de ramos arteriais do tumor intracraniano de base de crânio

  • 4 Publicações