Tuberculose - Caso clínico de Radiologia

há 2019 anos     -     
Tuberculose - Caso clínico de Radiologia

A.J.P, 40 anos, masculino, pardo, solteiro, caminhoneiro, natural do Ceará, reside em São Paulo há 20anos, católico e não possui plano de saúde.

QD: Tosse há 4 semanas

HPMA: Paciente relata que há 4 semanas após uma viagem longa iniciou um quadro de tosse persistente com secreção esverdeada acompanhado de febre vespertina, referida a média de 38ºC com sudorese noturna e emagrecimento. Refere que há 2 semanas procurou o pronto socorro, no qual foi diagnosticado com pneumonia e tratado com amoxicilina por 7 dias, onde não houve melhora dos sintomas.

ISDA: Paciente indica emagrecimento de 5 quilos em um mês e nega outras alterações

Antecedentes pessoais: Indica doenças da infância como sarampo e varicela. Nega trauma e acidentes. Relata hipertensão há 2 anos. Nega cirurgias, transfusões sanguíneas e alergias. Faz uso diário de enalapril

Antecedentes familiares: Mãe diabética e pai hipertenso

Hábitos de vida: Alimentação sem refeições regulares, ingestão de alimentos gordurosos. Não realiza atividades físicas. Na atividade sexual relata parceiras desconhecidas sem o uso de preservativos. Paciente etilista e tabagista 20 anos-maço, nega uso de drogas ilícitas. Moradia possui saneamento básico com 2 cômodos e coleta de lixo.

Exame Físico: REG, corado, acianótico, anictérico, hidratado, febril (38ºC), boa perfusão periférica. Peso: 62Kg, altura: 1,67m, IMC:22, PA: 130 x 90 mmHg, FC: 89bpm, FR:25ipm. Linfonodos não palpáveis

Exame cardíaco: 2 bulhas rítmicas normofonéticas, dois tempos,  sem sopros e extrassistoles. Pulsos palpáveis e simétricos. Ictus cordis palpável

Exame Pulmonar: Inspeção mostra biótipo brevelíneo, sem cicatrizes ou alterações, tórax em tonel. Na palpação há expansibilidade diminuída no ápice direito e preservada em bases e frêmito toracovocal normal. Percussão com submacicez em ápice direito e som claro pulmonar em base bilateralmente. Ausculta com murmúrio vesicular diminuído, principalmente em ápices bilateralmente.

Exame Abdominal: Inspeção apresenta abdômen plano, flácido e sem alterações cutâneas. Ausculta com 2 ruídos hidroaéreos presentes em um minuto, palpação superficial e profunda indolores e sem visceromegalias

HD: Pneumonia por bactéria atípica devido aos sintomas de tosse com secreção sem melhora ao tratamento anterior.

HD2: Tuberculose, pois paciente apresenta tosse persistente, emagrecimento, febre vespertina, e sudorese noturna, assim como, no exame físico há acometimento de ápices pulmonares pela micobactéria ser aeróbia com predileção nos ápices pela maior quantidade de ar.

Exames complementares

Raio x de tórax: Infiltrado nos ápices pulmonares. Extensa opacidade heterogênea comprometendo lobo inferior direito com escavações.

Tomografia: Pequenas cavidades de paredes espessas e contornos irregulares, associados a nódulos do espaço aéreo, opacidades centrolobulares ramificadas e brônquios de paredes espessadas no segmento superior do lobo inferior direito.

PPD: positivo

Histopatológico: Biópsia de escarro com coloração positiva para BAAR

Teste de HIV: Elisa +

Diagnóstico: Sindrome da imunodeficiência adquirida (AIDS) e tuberculose

Conduta: 2 meses de uso rifampicina, etambutol, pirazinamida e isoniazida. Seguido de 4 meses de rifampicina e isoniazida. Inicio de tratamento antirretroviral, 2 a 8 semanas após o inicio do tratamento com tuberculose, com zidovudina, lamivudina e efavirenz.

  • 4 Publicações