DESAFIO | Só a bailarina que não tem

há 6 dias     -     
DESAFIO | Só a bailarina que não tem
desafio-licardio

Área do desafio: Cardiologia – Eletrocardiograma
 
Apresentação do caso:

Mulher, 34 anos, admitida com história de febre, náuseas, vômitos e dispneia aos mínimos esforços. Tinha como antecedente uma gestação sem intercorrências, estando no terceiro mês de puerpério. Na admissão, apresentava-se eupneica, com edema de membros inferiores (+/+4) e febril. A pressão arterial estava em 120x80 e a frequência cardíaca com 64 bpm. A ausculta cardíaca estava sem alterações. Radiografia de tórax  apresentou área cardíaca normal. Exames laboratoriais: K+ 2,5, Mg ++ 1,8, leucograma 9200 (9/77), VHS 75 mm, urina com leucocitúria e hematúria, sem cilindros.

imagem-desafio

Questões para orientar discussões
1.Qual a arritmia mostrada no ECG?
2.O que pode ocasionar a arritmia mostrada no ECG?
3.Considerando a alteração eletrolítica presente no ECG. Quais outras alterações, além da arritmia, ela pode causar?
 



Gabarito
1.Torsades de pointes.
O torsades de pointes (do francês, “torção das pontas”) é um tipo de taquiarritmia peculiar reservada a situações especiais, como síndromes do QT longo, distúrbios eletrolíticos e qualquer condição que leve à bradiarritmia persistente. O bloqueio atrioventricular em grau avançado se comporta como uma das principais causas de taquiarritmia na prática clínica. O torsades de pointes é uma condição maligna que necessita de diagnóstico precoce e tratamento agressivo, a fim de que sejam evitadas graves complicações como a morte súbita.
 
2. O TdP pode ser observado em pacientes portadores da síndrome do QT longo (SQTL) congênita e também em sua forma adquirida, principalmente por uso de drogas que prolongam a repolarização ventricular (antiarrítmicos - classe IA e III, antidepressivos, antibióticos, neurolépticos, anti-histamínicos, cocaína, etc.), distúrbios metabólicos, nutricionais e em condições como bradiarritmias persistentes, ocasionadas por disfunção sinusal ou bloqueios atrioventriculares (BAV), havendo nestes alguma evidência de predisposição genética.
 
3. As alterações da hipocalemia no ECG variam em função da gravidade do caso. A hipocalemia leve (entre 3 e 3.5 mEq/L) normalmente não produz alterações significativos no eletrocardiograma. Com cifras de potássio sérico inferiores a 3mEq/L se produz depressão do segmento ST com achatamento da onda T e aumento da amplitude da onda U. Nos pacientes com hipocalemia severa têm sido relatados taquicardia ventricular, torsades de pointes e fibrilação ventricular em ausência de doença cardíaca ou tratamento com digoxina. O risco de apresentar arritmias cardíacas graves aumenta nos pacientes com doença cardíaca de base ou em tratamento com digoxina.
 
 


Referências 
BARCELOS, Alexandre Maulaz et al . Síndrome do QT longo e torsades de pointes pós-parto. Arq. Bras. Cardiol.,  São Paulo ,  v. 93, n. 4, p. e58-e59,  Oct.  2009 .  
 
Prevention of Torsade de Pointes in Hospital Settings. Journal of the American College of Cardiology. V. 55, n.9, p. 934-947, 2010.
 
RUSTUM, Martha et al. BAV Avançado e Taquiarritmia Sustentada do Tipo Torsades de Pointes: registro ambulatorial de 24 horas. Rev SOCERJ. V. 21, n.1, p. 59-62, 2008.
 

A Liga de Cardiologia e Pneumologia da Universidade Estadual do Ceará é orientada pelo médico cardiologista Dr. Filadelfo Rodrigues Filho, professor da UECE e atual coordenador do Centro de Estudos do Hospital Dr. Carlos Alberto Studart Gomes. A liga conta com módulos de ensino bastante enriquecedores, que visam à capacitação dos estudantes para estágios, além de atividades de pesquisa e dois grandes projetos de extensão: o Viva Coração e o RCP para todos. O projeto de inclusão da Pneumologia pela LICARDIO é recente, mas conta com excelentes ideias que já estão saindo do papel e terão forte impacto na produção científica da liga, visando sempre abrir fronteiras e tornar o conhecimento médico cada vez mais acessível.

  • 5 Publicações