Prova - Analista Judiciário - Médico Clínica Médica - CESPE - 2008

Detalhes

Profissão: Medico
Cargo: Analista Judiciário - Médico Clínica Médica
Orgão: STF
Banca: CESPE
Ano: 2008
Nivel Superior

Conteúdo de stf08_008_11.pdf - 1/13

// Proxima página

? De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 150 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo
designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com o código E, caso julgue o item ERRADO.
A ausência de marcação ou a marcação de ambos os campos não serão apenadas, ou seja, não receberão pontuação negativa. Para as
devidas marcações, use a folha de respostas, único documento válido para a correção das suas provas.
? Nos itens que avaliam Noções de Informática, a menos que seja explicitamente informado o contrário, considere que todos os
programas mencionados estão em configuração-padrão, em português, que o mouse está configurado para pessoas destras e que
expressões como clicar, clique simples e clique duplo referem-se a cliques com o botão esquerdo do mouse. Considere também que não
há restrições de proteção, de funcionamento e de uso em relação aos programas, arquivos, diretórios, recursos e equipamentos
mencionados.
? Sempre que utilizadas, as siglas subseqüentes devem ser interpretadas com a significação associada a cada uma delas, da seguinte forma:
DF = Distrito Federal; STF = Supremo Tribunal Federal; STJ = Superior Tribunal de Justiça.

CONHECIMENTOS BÁSICOS
1 Hoje o sistema isola, atomiza o indivíduo. Por isso 1 O agente ético é pensado como sujeito ético, isto é,
seria importante pensar as novas formas de comunicação. como um ser racional e consciente que sabe o que faz, como
um ser livre que escolhe o que faz e como um ser
Mas o sistema também nega o indivíduo. Na economia, por
4 responsável que responde pelo que faz. A ação ética é
4 exemplo, mudam-se os valores de uso concreto e qualitativo
balizada pelas idéias de bem e de mal, justo e injusto, virtude
para os valores de troca geral e quantitativa. Na filosofia e vício. Assim, uma ação só será ética se consciente, livre e
aparece o sujeito geral, não o indivíduo. Então, a diferença 7 responsável e será virtuosa se realizada em conformidade
7 é uma forma de crítica. Afirmar o indivíduo, não no sentido com o bom e o justo. A ação ética só é virtuosa se for livre
neoliberal e egoísta, mas no sentido dessa idéia da diferença e só o será se for autônoma, isto é, se resultar de uma decisão
é um argumento crítico. Em virtude disso, dessa discussão 10 interior do próprio agente e não de uma pressão externa.
10 sobre a filosofia e o social surgem dois momentos Evidentemente, isso leva a perceber que há um conflito entre
importantes: o primeiro é pensar uma comunidade auto- a autonomia da vontade do agente ético (a decisão emana
reflexiva e confrontar-se, assim, com as novas formas de 13 apenas do interior do sujeito) e a heteronomia dos valores
morais de sua sociedade (os valores são dados externos ao
13 ideologia. Mas, por outro lado, a filosofia precisa da
sujeito). Esse conflito só pode ser resolvido se o agente
sensibilidade para o diferente, senão repetirá apenas as
16 reconhecer os valores de sua sociedade como se tivessem
formas do idêntico e, assim, fechará as possibilidades do sido instituídos por ele, como se ele pudesse ser o autor
16 novo, do espontâneo e do autêntico na história. Espero que desses valores ou das normas morais, pois, nesse caso, ele
seja possível um diálogo entre as duas posições em que 19 será autônomo, agindo como se tivesse dado a si mesmo sua
ninguém tem a última palavra. própria lei de ação.
Miroslav Milovic. Comunidade da diferença. Marilena Chaui. Uma ideologia perversa.
Relume Dumará, p. 131-2 (com adaptações). In: Folhaonline, 14/3/1999 (com adaptações).



Com referência às idéias e às estruturas lingüísticas do texto Julgue os seguintes itens, a respeito da organização das estruturas
acima, julgue os itens a seguir. lingüísticas e das idéias do texto acima.
\u001a Depreende-se do texto que ?agente? e ?sujeito?, ambos na
\u0013 Depreende-se do texto que ?pensar as novas formas de
linha 1, não são sinônimos, embora possam remeter ao
comunicação? (R.2) significa isolar ou atomizar o indivíduo. mesmo indivíduo.
\u0014 Preservando-se a correção gramatical do texto, bem como \u001b De acordo com as relações argumentativas do texto, se uma
sua coerência argumentativa, a forma verbal ?mudam-se? ação não for ?virtuosa? (R.7), ela não resulta de decisão
(R.4) poderia ser empregada também no singular. interior; se não for ?ética? (R.6), ela não será consciente, livre
\u0015 O conectivo ?Então? (R.6) estabelece uma relação de tempo e responsável.
entre as idéias expressas em duas orações. \u0013\u0012 É pela acepção do verbo levar, em ?leva a perceber? (R.11),
que se justifica o emprego da preposição ?a? nesse trecho, de
\u0016 A partir do desenvolvimento das idéias do texto, conclui-se tal modo que, se for empregado o substantivo
que a palavra ?crítico? (R.9) está sendo empregada como correspondente a ?perceber?, percepção, a preposição
crucial, perigoso. continuará presente e será correto o emprego da crase: à
\u0017 O emprego de ?Em virtude disso? (R.9) mostra que, percepção.
imediatamente antes do termo ?o social? (R.10) está \u0013\u0013 Os sinais de parênteses nas linhas de 12 a 15 têm a função de
subtendida a preposição de, que, se fosse explicitada, teria organizar as idéias que destacam e de inseri-las na
de ser empregada sob a forma do. argumentação do texto; por isso, sua substituição pelos sinais
de travessão preservaria a coerência textual e a correção do
\u0018 A expressão ?por outro lado? (R.13) explicita a texto, mas, na linha 15, o ponto final substituiria o segundo
caracterização do segundo dos ?dois momentos importantes? travessão.
(R.10-11). \u0013\u0014 A expressão ?Esse conflito? (R.15) tem a função textual de
\u0019 Como o último período sintático do texto se inicia pela idéia recuperar a idéia de ?heteronomia? (R.13).
de possibilidade, a substituição do verbo ?tem? (R.18) por \u0013\u0015 A organização das idéias no texto mostra que, em suas duas
tenha, além de preservar a correção gramatical do texto, ocorrências, o pronome ?ele?, na linha 17, refere-se
ressaltaria o caráter hipotético do argumento. textualmente a ?agente? (R.15).


UnB/CESPE ? STF
Cargo 8: Analista Judiciário ? Área: Apoio Especializado ? Especialidade: Medicina ? Ramo: Clínica Médica ?1?

Conteúdo de stf08_gab_definitivo_008_11.pdf - 1/1

// Proxima página

PODER JUDICIÁRIO
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS
DE ANALISTA JUDICIÁRIO E DE TÉCNICO JUDICIÁRIO

CARGO 8: ANALISTA JUDICIÁRIO ? ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO
ESPECIALIDADE: MEDICINA ? RAMO: CLÍNICA MÉDICA

Aplicação: 6/7/2008
0

GABARITOS OFICIAIS DEFINITIVOS DAS PROVAS OBJETIVAS
0
Obs.: ( X ) item anulado.

Item 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
Gabarito E C E E E C C C E C C E C E C E C E E E

Item 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40
Gabarito C E E E C E C E C C E C C E E C C E E C

Item 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60
Gabarito C C E E E C E C E E C X E E E C C C E E

Item 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80
Gabarito C C C E E E C E C C C C E C E C E C X C

Item 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100
Gabarito E E E C C E C C E E C C E C E E C E C C

Item 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120
Gabarito E C E C E C E E C C E C C E E C E C C E

Item 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140
Gabarito E E C E E E C E C C C C C E E C C E C C

Item 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150
Gabarito E C E C E C E C E E 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0




www.editorasanar.com.br