Prova - Analista Judiciário - Odontólogo/ Pediatra - FCC - 2009

Detalhes

Profissão: Odontologo
Cargo: Analista Judiciário - Odontólogo/ Pediatra
Orgão: TRT 3ª
Banca: FCC
Ano: 2009
Nivel Superior

Conteúdo de prova_o15_tipo_001.pdf - 2/11

Página Anterior // Proxima página

Caderno de Prova ?O15?, Tipo 001
1. De acordo com o texto,
CONHECIMENTOS GERAIS
Português (A) as características coletivas do futebol moderno po-
dem prejudicar o reconhecimento de um território
Atenção: As questões de números 1 a 12 baseiam-se no específico e particular, como o de um clube.
texto apresentado abaixo.
(B) o futebol moderno veio substituir, em grande parte,
O sucesso da democracia nas sociedades industriais os laços pessoais de pertencimento a determinados
grupos sociais.
trouxe inegáveis benefícios a amplos setores antes excluídos da
tomada de decisões; contudo, provocou também a perda de (C) o esporte resultou das alterações nos regimes polí-
identidades grupais que tinham sido essenciais nos séculos ticos surgidos ao longo do tempo em diversas socie-
dades.
anteriores. A consciência de pertencer a determinada comu-
nidade camponesa, ou família tradicional e poderosa, ou confra- (D) o conceito de cidadania sofreu evolução nem sem-
pre favorável a certos grupos sociais, por desca-
ria, ou cidade, ficou esmagada pelo conceito de cidadania que racterizar suas normas tradicionais.
homogeneíza todos os indivíduos. Novos recortes surgiram ?
(E) a industrialização e a consequente urbanização apo-
partido político, condição econômica, seita religiosa etc. ? mas
deraram-se de modelos tradicionais de comporta-
tão maleáveis e mutáveis que não substituíram todas as fun- mento, especialmente nos esportes.
_________________________________________________________
ções sociais e psicológicas do velho sentimento grupal. O fute-
bol inseriu-se exatamente nessa brecha aberta pela industria- 2. Considere as afirmativas seguintes:
lização ao destruir os paradigmas anteriores.
I. Identifica-se no texto uma diferenciação nas carac-
O antropólogo inglês Desmond Morris vai mais adiante e terísticas de certos grupos nas sociedades primi-
propõe que se veja no mundo do futebol um mundo de tribos. tivas.

Sem dúvida o sentimento tribal é muito forte, acompanha o II. Especialistas divergem na classificação dos grupos
indivíduo por toda vida e mesmo além dela. É o que mostra no de torcedores de futebol, a partir de seu comporta-
mento.
Brasil a prática de alguns serem sepultados em caixão com o
símbolo do clube na tampa. [...] A atuação do torcedor no rito do III. Hábitos tradicionais resultantes de sociedades pri-
futebol não é em essência muito diferente da atitude das po- mitivas marcam o comportamento dos torcedores
dos clubes de futebol.
pulações tribais que, por meio de pinturas corporais, cantos e
gritos, participam no rito das danças guerreiras. Está correto o que se afirma em
Não é descabido, portanto, falar em tribo no futebol,
(A) I, apenas.
porém não parece a melhor opção. Tribo é grupo étnico com
(B) III, apenas.
certo caráter territorial, o que não se aplica ao futebol, cujos
(C) I e II, apenas.
torcedores são de diferentes origens e estão espalhados por
vários locais. Tribo é sociedade sem Estado, e o futebol moder- (D) II e III, apenas.
no desenvolve-se obviamente nos quadros de Estados nacio- (E) I, II e III.
nais. Talvez seja preferível falar em clã. Deixando de lado o de- _________________________________________________________
bate técnico sobre tal conceito, tomemos uma definição mínima: 3. A afirmativa do antropólogo Marcel Mauss, reproduzida no
clã é um grupo que acredita descender de um ancestral comum, final do texto,
mais mítico que histórico, contudo vivo na memória coletiva.
(A) é empregada como embasamento para a prefe-
Ainda que todo clube de futebol tenha origem concreta e mais rência pelo termo clã como definição do agrupa-
ou menos bem documentada, com o tempo ela tende a ganhar mento de torcedores dos clubes de futebol.

ares de lenda, que prevalece no conhecimento do torcedor (B) torna pouco aceitável o termo tribo para identificar os
comum sobre os dados históricos. É nessa lenda, enriquecida grupos de torcedores, pois eles nem sempre reco-
nhecem a verdade na história dos clubes.
por feitos esportivos igualmente transformados em lenda, que
todos os membros do clã orgulhosamente se reconhecem. [...] (C) mostra que a identificação do torcedor com o nome
do clube vem desde as primeiras tribos que se
O clã tem base territorial, mas quando precisa mudar de espaço organizaram em territórios demarcados.
(jogar em outro estádio) não se descaracteriza. Em qualquer
lugar, os membros do clã se reconhecem, dizia o grande so- (D) busca justificar a constatação de que as atitudes dos
torcedores modernos se aproximam dos ritos tribais,
ciólogo e antropólogo Marcel Mauss, pelo nome, brasão e to- com cantos e gritos.
tem.
(E) possibilita desconsiderar a associação de grupos de
(Hilário Franco Júnior. A dança dos deuses. São Paulo: torcedores a clãs devido à origem real e documen-
Companhia das Letras, 2007, p. 213-215) tada, por trâmites legais, dos clubes de futebol.
2 TRT3R-Conhecimentos Gerais1
www.editorasanar.com.br

Conteúdo de gabaritos_trt_3.pdf - 2/8

Página Anterior // Proxima página

Conhec. Gerais/C. Específicos
Cargo ou Opção: D04 - AN JUD - ÁREA ADMINISTRATIVA - ESPEC CONTABILIDADE
Tipo Gabarito: 1
001 - B 011 - C 021 - A 031 - B 041 - C 051 - E
002 - E 012 - D 022 - B 032 - D 042 - A 052 - C
003 - A 013 - E 023 - E 033 - C 043 - B 053 - B
004 - B 014 - A 024 - C 034 - E 044 - A 054 - D
005 - E 015 - D 025 - D 035 - C 045 - D 055 - B
006 - C 016 - A 026 - E 036 - A 046 - B 056 - C
007 - D 017 - C 027 - D 037 - D 047 - C 057 - E
008 - D 018 - E 028 - E 038 - A 048 - D 058 - A
009 - C 019 - B 029 - B 039 - E 049 - B 059 - D
010 - A 020 - A 030 - A 040 - C 050 - E 060 - A


Conhec. Gerais/C. Específicos
Cargo ou Opção: E05 - AN JUD - ÁREA APOIO ESPEC - ESPEC ARQUITETURA
Tipo Gabarito: 1
001 - B 011 - C 021 - A 031 - C 041 - A 051 - C
002 - E 012 - D 022 - E 032 - B 042 - D 052 - B
003 - A 013 - E 023 - A 033 - D 043 - E 053 - B
004 - B 014 - A 024 - C 034 - E 044 - C 054 - D
005 - E 015 - D 025 - B 035 - D 045 - B 055 - A
006 - C 016 - A 026 - A 036 - A 046 - D 056 - A
007 - D 017 - C 027 - D 037 - E 047 - A 057 - E
008 - D 018 - E 028 - B 038 - A 048 - E 058 - C
009 - C 019 - B 029 - C 039 - C 049 - A 059 - D
010 - A 020 - A 030 - E 040 - B 050 - B 060 - E


Conhec. Gerais/C. Específicos
Cargo ou Opção: F06 - AN JUD - ÁREA APOIO ESPEC - ESPEC ARQUIVOLOGIA
Tipo Gabarito: 1
001 - B 011 - C 021 - B 031 - E 041 - A 051 - E
002 - E 012 - D 022 - E 032 - E 042 - D 052 - E
003 - A 013 - E 023 - E 033 - C 043 - C 053 - B
004 - B 014 - A 024 - C 034 - A 044 - B 054 - D
005 - E 015 - D 025 - D 035 - D 045 - D 055 - C
006 - C 016 - A 026 - B 036 - B 046 - A 056 - D
007 - D 017 - C 027 - C 037 - A 047 - D 057 - A
008 - D 018 - E 028 - B 038 - C 048 - E 058 - D
009 - C 019 - B 029 - A 039 - E 049 - C 059 - A
010 - A 020 - A 030 - B 040 - B 050 - A 060 - C




www.editorasanar.com.br

Provas relacionadas

Cargo Orgão Ano
Analista Judiciário - Odontólogo/ Pediatra TRT 3ª 2009
Analista Judiciário - Odontólogo/ Prótese TRT 3ª 2009