Prova - Analista Trainee - Psicólogo - FCC - 2008

Detalhes

Profissão: Psicologo
Cargo: Analista Trainee - Psicólogo
Orgão: METRÔ/SP
Banca: FCC
Ano: 2008
Nivel Superior

Conteúdo de gab15.pdf - 1/1

// Proxima página

I08 - tipo 1
001 - B 011 - E 021 - B 031 - C 041 - D 051 - C
002 - C 012 - D 022 - C 032 - A 042 - D 052 - B
003 - A 013 - E 023 - E 033 - B 043 - A 053 - E
004 - D 014 - C 024 - D 034 - C 044 - B 054 - D
005 - E 015 - A 025 - A 035 - E 045 - C 055 - A
006 - B 016 - D 026 - D 036 - D 046 - E 056 - B
007 - C 017 - D 027 - A 037 - E 047 - A 057 - A
008 - B 018 - A 028 - B 038 - B 048 - C 058 - D
009 - C 019 - E 029 - C 039 - A 049 - E 059 - E
010 - A 020 - B 030 - E 040 - C 050 - D 060 - B

Conteúdo de prova15.pdf - 1/11

// Proxima página

MODELO ? Caderno de Prova, Cargo I08, Tipo 001
comuns, que tiveram destino diverso das demais por aceitarem
CONHECIMENTOS BÁSICOS
enfrentar os perigos em nome de uma causa, com a virtude da
Atenção: As questões de números 1 a 9 baseiam-se no texto
apresentado abaixo. renúncia aos próprios interesses. São heróis, não super-heróis

ou celebridades, como os ?heróis? de hoje.
Uma nação se forja graças à sua memória. Ninguém
Nós, brasileiros, também temos exemplos de heróis de
melhor do que os franceses para cultuar a sua História, bem
carne e osso, em nossa História, que morreram na luta por suas
apresentada na Biblioteca François Mitterrand, em Paris, com a
crenças. Lembro três: Zumbi, Frei Caneca e Marçal de Souza
exposição sobre os heróis, denominada De Aquiles a Zidane.
Tupã-Y. Malgrado existam estes exemplos, dentre outros,
Curioso o título da mostra, a indicar o surgimento de um novo
assusta a resposta colhida em pesquisa feita, por internet, entre
modelo de herói. Na exposição se percorre uma longa trajetória,
60 mil brasileiros, a quem se indagou qual a figura mais impor-
que vai dos heróis gregos, como Aquiles, um bravo, corajoso,
tante de nossa História. A resposta majoritária foi, num leque de
impiedoso combatente, que preferiu a vida breve gloriosa a uma
opções, o próprio povo brasileiro. Tal indica que deixamos de
vida longa obscurecida, até as figuras de gibi e televisão, como
ter modelos, valores a serem perseguidos. Perdeu-se a
Superman e Homem-Aranha, para finalizar com uma celebrida-
memória.
de do contagiante futebol. Dos pés de Aquiles, seu único ponto
(Adaptado de Miguel Reale Júnior. O Estado de S. Paulo, A2, 1
fraco, aos pés de Zidane, seu ponto forte. de dezembro de 2007)

Sendo o herói de hoje efêmero, que tem seu rápido
1. Segundo o autor, o novo modelo de herói se constitui
momento de glória registrado pela mídia para ser logo atualmente de
esquecido, teve-se de recorrer, para marcar o herói dos tempos (A) figuras criadas pela ficção de todos os tempos,
desde a mitologia grega, até as revistas, o cinema e
atuais, às figuras imaginárias do Superman, do Homem-Aranha,
a televisão.
consagradas nas revistas e nas telas de cinema ou televisão.
(B) celebridades cujas ações são divulgadas pelos
Como diz Michela Marzano sobre a morte espetáculo, ?as fron- meios de comunicação, apesar de serem seus
valores rapidamente esquecidos.
teiras entre a ficção e realidade são cada vez mais vagas?. Os

heróis de hoje não são de carne e osso, são super-heróis indes- (C) pessoas comuns que, deixando de lado interesses
particulares, privilegiam a defesa de causas bené-
trutíveis de um espetáculo de divertimento, mas que podem ficas a uma coletividade.

confundir-se com o real, como fez o garoto de Santa Catarina (D) personalidades que justificam sua glória por feitos
valorosos em determinados momentos de conflito,
que, vestido de Homem-Aranha, penetrou nas chamas e retirou
tanto no âmbito pessoal quanto coletivo.
a menininha do berço incendiado.
(E) mártires, que perderam a própria vida na defesa de
Mas a mostra rememora os heróis franceses a serem um ideal nem sempre compreendido ou aceito pela
coletividade em sua época.
cultuados e seguidos. Os heróis são símbolos nacionais ou _________________________________________________________
religiosos cujos prodígios se caracterizam pela bravura, pela 2. A preocupação apontada no último parágrafo do texto
temeridade, pela renúncia, pelo idealismo. Põem acima do (A) assinala a opção mais aceita, de que os valores a
serem cultuados e seguidos fazem parte da cultura
próprio instinto de conservação a busca do bem coletivo. O
popular.
herói ressalta-se por sua vontade de vencer, pela força do
(B) denota o desconhecimento popular de que os heróis
caráter, pela grandeza de alma, pela elevada virtude, que o faz são símbolos nacionais ou religiosos capazes de
prodígios acima das pessoas comuns.
enfrentar sobranceiramente a morte. [...]

Lembrei o exemplo de mártires que, sem desprezo pela (C) tem razão de ser por indicar a ausência de valores,
especialmente considerando-se a afirmativa inicial
morte, a enfrentaram com estoicismo, alimentados por suas de que uma nação se forja graças à sua memória.

crenças em luta corajosa para a eliminação da injustiça e a (D) contradiz a noção de que as qualidades das pessoas
comuns podem elevá-las à condição de heróis.
transformação da sociedade em benefício de todos. Não foram

estes homens combatentes de grandes feitos militares, portado- (E) reforça a afirmativa de que o herói de hoje é efê-
mero, o que invalida uma memória coletiva voltada
res de estratagemas ou forças invencíveis. Foram pessoas para o culto de suas personalidades.
2 METRO-Conhecimentos Basicos1
www.editorasanar.com.br

Provas relacionadas

Cargo Orgão Ano
Psicólogo Judiciário TJ/SP 2017
Psicólogo Hospitalar ISGH - HRN 2017
Psicólogo CRAS/ CREAS Pref. Floresta do Piauí/PI 2017
Psicólogo - CRAS Pref. São José da Safira/MG 2017
Psicólogo - Área Organizacional EBSERH/HUJB-UFCG 2017