Prova - Auxiliar de Almoxarifado Farmacêutico - PRÓ-MUNICÍPIO - 2011

Detalhes

Profissão: Farmaceutico
Cargo: Auxiliar de Almoxarifado Farmacêutico
Orgão: Pref. Tabuleiro do Norte/CE
Banca: PRÓ-MUNICÍPIO
Ano: 2011
Nivel Médio

Conteúdo de auxiliar_de_almoxarifado_farmaceutico.pdf - 1/10

// Proxima página

AUXILIAR DE ALMOXARIFADO FARMACEUTICO
CONHECIMENTOS BÁSICOS

Leia o texto para responder as questões de 01 a 08:

No aeroporto

Viajou meu amigo Pedro. Fui levá-lo ao Galeão, onde esperamos três horas o seu
quadrimotor. Durante esse tempo, não faltou assunto para nos entretermos, embora não
falássemos da vã e numerosa matéria atual. Sempre tivemos muito assunto, e não
deixamos de explorá-lo a fundo. Embora Pedro seja extremamente parco de palavras e, a
bem dizer, não se digne a pronunciar nenhuma. Quando muito, emite sílabas; o mais é
conversa de gestos e expressões, pelos quais se faz entender admiravelmente. É o seu
sistema.
Passou dois meses e meio na nossa casa, e foi hóspede ameno. Sorria para os
moradores, com ou sem motivo plausível. Era a sua arma, não direi secreta, porque
ostensiva. A vista da pessoa humana lhe dá prazer. Seu sorriso foi logo considerado
sorriso especial, revelador de boas intenções para com o mundo ocidental e o
oriental, e em particular o nosso trecho de rua. Fornecedores, vizinhos e
desconhecidos, gratificados com esse sorriso (encantador, apesar da falta de dentes),
abonam a classificação.
[...]
Objeto que visse em nossa mão, requisitava-o. Gosta de óculos alheios (e não os
usa), relógios de pulso, copos, xícaras e vidros em geral, artigos de escritório,
botões simples ou de punho. Não é colecionado; gosta das coisas para pegá-las, mirá-
las e (é seu costume ou sua mania, que se há de fazer) pô-las na boca. Quem não o
conhece diz que é péssimo costume, porém duvido que mantenha este juízo diante de
Pedro, de seu sorriso sem malícia e de suas pupilas azuis_ porque me esquecia dizer
que tem olhos azuis, cor que afasta qualquer suspeita ou acusação apressada, sobre a
razão íntima de seus atos.
Poderia acusá-lo de incontinência, porque não sabia distinguir entre os
cômodos, e o que lhe ocorria fazer, fazia em qualquer parte? Zangar-me com ele porque
destruiu a lâmpada do escritório? Não. Jamais me voltei para Pedro que ele não me
sorrisse; tivesse eu um impulso de irritação e me sentiria desarmado com a sua azul
maneira de olhar-me. Eu sabia que essas coisas eram indiferentes à nossa amizade e,
até que a nossa amizade lhes conferia caráter necessário, de prova; ou gratuito, de
poesia e jogo.
Viajou meu amigo Pedro. Fico refletindo na falta que faz um amigo de um ano de
idade a seu companheiro já vivido e puído. De repente o aeroporto ficou vazio.
Carlos Drummond de Andrade



QUESTÃO 01 - Sobre o texto, marque o QUESTÃO 02 - Em: ?Viajou meu amigo
item incorreto: Pedro?. O sujeito classifica-se como:

A) O texto foi intencionalmente A) Simples;
construído de forma ambígua sobre a B) Composto;
identidade da personagem Pedro para C) Indeterminado;
prender a atenção do leitor;
D) Oculto;
B) Logo no primeiro parágrafo, o autor
E) Oração sem sujeito.
deixa clara a identidade da
personagem Pedro;
QUESTÃO 03 - Na oração: ?...embora não
C) A identidade de Pedro só é revelada falássemos da vã e numerosa matéria
no último parágrafo; atual?. A conjunção que inicia a oração
D) Ao longo do texto o autor fornece ao tem valor semântico de:
leitor pistas sobre a identidade de
Pedro; A) Condição;
E) Os comportamentos iniciais de Pedro B) Causa;
induzem o leitor a erro quanto à C) Conseqüência;
identidade dele.
D) Concessão;
E) Finalidade.



1 de 10


www.editorasanar.com.br

Conteúdo de gabaritos.pdf - 1/7

// Proxima página

0101 - AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E D B E C E C B E B D E C D E A B C

0103 - JARDINEIRO
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E D B E C E C B E B D E C D E A B C

0105 - PORTEIRO
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E D B E C E C B E B D E C D E A B C

0106 - SERVENTE DE PEDREIRO
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E D B E C E C B E B D E C D E A B C

0107 - VIGIA
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E D B E C E C B E B D E C D E A B C

0108 - AGENTE DE ENDEMIAS
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E E B D E C D E E C A A B C B A E D
26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50
E C A E D A E C E B E A A B E D E C B C C A B D E

0110 - MOTORISTA A/B
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E D B E C E C B E B D E C D E A B C

0111 - MOTORISTA C
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E D B E C E C B E B D E C D E A B C

0112 - MOTORISTA D
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E D B E C E C B E B D E C D E A B C

0113 - OPERADOR DE MAQUINAS
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E E B D E C D E B A C E C E A B B E
26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50
C B A B E D C E D D B A B D E E C A E E C D C B D

0115 - PEDREIRO
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25
C B E D A A B E E B D E C D E A C B D C A D E B A
26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50
E A B C B A D A E A B A C E E D C A D A C E B B E


www.editorasanar.com.br

Provas relacionadas

Cargo Orgão Ano
Farmacêutico-Bioquímico Pref. Tabuleiro do Norte/CE 2011
Auxiliar de Almoxarifado Farmacêutico Pref. Tabuleiro do Norte/CE 2011