Prova - Auxiliar de Veterinária e Zootecnia - CEPS/UFPA - 2016

Detalhes

Profissão: Veterinario
Cargo: Auxiliar de Veterinária e Zootecnia
Orgão: UFRA
Banca: CEPS/UFPA
Ano: 2016
Nivel Fundamental

Conteúdo de gab_definitivo_todos_cargos.pdf - 2/40

Página Anterior // Proxima página

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
CENTRO DE PROCESSOS SELETIVOS




CONCURSO PÚBLICO PARA CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM
EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA
EDITAL Nº 2/2016 ? UFRA, DE 26 DE JANEIRO DE 2016


22 de maio de 2016

NÍVEL E

Cargo: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ? Área:
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

GABARITO OFICIAL DEFINITIVO

CONHECIMENTOS BÁSICOS
LÍNGUA PORTUGUESA LEGISLAÇÃO
1 D 11 B
2 C 12 A
3 A 13 D
4 B 14 A
5 C 15 C
6 B 16 E
7 C 17 B
8 A 18 D
9 D 19 C
10 C 20 E

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
21 B 26 B 31 D 36 B 41 D
22 E 27 B 32 C 37 A 42 B
23 A 28 C 33 A 38 E 43 B
24 B 29 C 34 C 39 B 44 E
25 D 30 B 35 C 40 A 45 B




www.editorasanar.com.br

Conteúdo de gab_preliminar_todos_cargos.pdf - 2/40

Página Anterior // Proxima página

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
CENTRO DE PROCESSOS SELETIVOS




CONCURSO PÚBLICO PARA CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM
EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA
EDITAL Nº 2/2016 ? UFRA, DE 26 DE JANEIRO DE 2016


22 de maio de 2016

NÍVEL E

Cargo: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ? Área:
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

GABARITO OFICIAL PRELIMINAR

CONHECIMENTOS BÁSICOS
LÍNGUA PORTUGUESA LEGISLAÇÃO
1 D 11 B
2 C 12 A
3 A 13 D
4 B 14 A
5 C 15 C
6 B 16 E
7 C 17 B
8 A 18 D
9 D 19 C
10 C 20 E

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
21 B 26 B 31 D 36 B 41 D
22 E 27 B 32 C 37 A 42 B
23 A 28 C 33 A 38 E 43 B
24 B 29 C 34 C 39 B 44 E
25 D 30 B 35 C 40 A 45 B




www.editorasanar.com.br

Conteúdo de aux_veterinaria_zootecnia.pdf - 2/13

Página Anterior // Proxima página

CONCURSO PÚBLICO PARA CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO
EDITAL Nº 2/2016 ? UFRA, DE 26 DE JANEIRO DE 2016


MARQUE A ÚNICA ALTERNATIVA CORRETA NAS QUESTÕES DE 1 A 45.

LÍNGUA PORTUGUESA

Ela
1 Se você não tem problemas com a sua, levante as mãos para o céu e pare agora mesmo de
2 reclamar da vida. O que são algumas dívidas para pagar, um celular sempre sem bateria, um final de
3 semana chuvoso? Chatices, mas dá-se um jeito. Nela não. Nela não dá-se um jeito. Para eliminá-la,
4 prometemos cortar bebidas alcoólicas, prometemos fazer mil abdominais por dia, mas ela não acusa o
5 golpe, segue com sua saliência irritante. A gente caminha, corre, sobe escada, desce escada, vibra quando
6 nosso intestino está bem regulado, cumprindo suas funções à perfeição, mas ela não se faz de rogada,
7 mantém-se firme onde está. ?Mantém-se firme? é força de expressão. Ela é tudo, menos firme. Você sabe
8 de quem estou falando.
9 Ela é uma praga masculina e feminina. Os homens também sofrem, mas aprendem a conviver com
10 ela: entregam os pontos e vão em frente, encarando a situação como uma contingência do destino. As
11 mulheres, não. Mulheres são guerreiras, lutam com todas as armas que têm. Algumas ficam sem respirar
12 para encolhê-la, chegam a ficar azuis. Outras vão para a mesa de cirurgia e ordenam que o médico sugue
13 a desgraçada com umbigo e tudo. Mas passa-se um tempo e ela volta, a desaforada sempre volta.
14 Quem não tem a sua? Eu conto quem: umas poucas sortudas com menos de 15 anos. Umas
15 poucas malucas que acordam, almoçam e jantam na academia. Algumas mais malucas ainda que não
16 almoçam nem jantam. As que nasceram com crédito pré-aprovado com Deus. E aquelas que nunca
17 engravidaram, lógico.
18 As que ignoram totalmente sobre o que estou falando são poucas, não lotariam uma sala de
19 cinema. Já as que sabem muito bem quem é a protagonista desta crônica (pois alojam a infeliz no próprio
20 corpo) povoam o resto da cidade, estão por toda parte. Batas disfarçam, vestidinhos disfarçam, biquínis
21 colocam tudo a perder.
22 Nem todas a possuem enorme. Cruzes, não. Às vezes é apenas uma protuberância, uma coisinha
23 de nada, na horizontal nem se repara. Aliás, mulheres acordam mais bem-humoradas do que os homens
24 porque de manhã cedo somos todas magras. Todas tábuas. Todas retas. Passam-se as primeiras horas,
25 no entanto, e a lei da gravidade surge para dar bom dia. Lá vai nosso humor.
26 Falam muito de celulite. Falam de seios, de traseiros, de rugas, de pés grandes, de falta de cintura,
27 de caspa, de tornozelos grossos, de orelhas de abano, de narizes desproporcionais, de ombros caídos, de
28 muita coisa caída. Temos uma possibilidade infinita de defeitos. Mas ela é que nos tira do prumo. Ela é que
29 compromete nossa silhueta. Ela é que arrasa com a nossa elegância. Ela. Nem ouso pronunciar seu nome.
30 Você sabe bem quem. Se não sabe, sorte sua: é porque não tem.
(MEDEIROS, Martha. Doidas e santas. São Paulo: Arqueiro, 2015)



1 O título do texto - Ela - se refere à protagonista da crônica cujo nome não é mencionado, mas pode ser
compreendido a partir da leitura. Essa protagonista é a
(A) celulite.
(B) estria.
(C) cintura.
(D) gordura.
(E) barriga.

2 O texto apresenta algumas pistas que indicam quem é essa protagonista. Entre essas pistas tem-se a
afirmação:
(A) ?Ela é uma praga masculina e feminina.? (linha 9)
(B) ?Algumas ficam sem respirar para encolhê-la,...? (linhas 11 e 12 )
(C) ?Para eliminá-la, prometemos cortar bebidas alcoólicas,...? (linhas 3 e 4)
(D) ?Falam muito de celulite...? (linha 26)
(E) ?Mas ela é que nos tira do prumo.? (linha 28)




2

 
www.editorasanar.com.br

Provas relacionadas

Cargo Orgão Ano
Médico Veterinário UFRA 2016
Auxiliar de Veterinária e Zootecnia UFRA 2016