Prova - Médico-Legista - CESPE - 2006

Detalhes

Profissão: Medico
Cargo: Médico-Legista
Orgão: Polícia Civil/ES
Banca: CESPE
Ano: 2006
Nivel Superior

Conteúdo de pces_medico_legista_gab_definitivo_caderno_1.pdf - 1/1

// Proxima página

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
CONCURSO PÚBLICO: MÉDICO-LEGISTA
GABARITOS OFICIAIS DEFINITIVOS

Aplicação: 19/3/2006




0
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
E C C E C E C E E C C C E E C E C E C E

Item 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40
Gabarito E E E C E C C E E C E E C E C C E C E E

Item 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60
Gabarito E C E C C C E C E E E C C E C E C E E E

Item 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80
Gabarito C E C C E C E C E C C E C E C E C C C C

Item 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100
Gabarito E C C E E C C C E E C E C E E E E E C C

Item 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120
Gabarito C E C C E E C E E E C C E E C E C E C E


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0


0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0




w ww.editorasanar.com.br

Conteúdo de pcesmel_003_1.pdf - 1/13

// Proxima página

? De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo
designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com o código E, caso julgue o item ERRADO.
A ausência de marcação ou a marcação de ambos os campos não serão apenadas, ou seja, não receberão pontuação negativa. Para
as devidas marcações, use a folha de rascunho e, posteriormente, a folha de respostas, único documento válido para a correção das
suas provas.
? Nos itens que avaliam Noções de Informática, a menos que seja explicitamente informado o contrário, considere que todos os
programas mencionados estão em configuração-padrão em português, que o mouse está configurado para pessoas destras e que
expressões como clicar, clique simples e clique duplo referem-se a cliques com o botão esquerdo do mouse. Considere também que
não há restrições de proteção, de funcionamento e de uso em relação aos programas, arquivos, diretórios e equipamentos mencionados.

CONHECIMENTOS BÁSICOS
1 O ser humano é a medida de todas as coisas. Pelo 1 Na Antiguidade não se conhecia o fenômeno da
tamanho do ser humano se mede a vastidão do universo, limitação do poder do Estado. As leis que organizavam os
assim como pelo palmo e pela braça se começou a medir a
Estados não atribuíam ao indivíduo direitos frente ao poder
4 Terra. Todo o conhecimento do mundo se faz de uma
perspectiva humana, todo o julgamento das coisas do mundo 4 estatal. Quando Aristóteles definiu ?Constituição?, tinha
se faz por um parâmetro humano. Assim, enaltecer o senso diante de si esse tipo de legislação. Não obstante tenha sido
7 moral do ser humano não é um floreio de linguagem que a Atenas o berço de relevante pensamento político, não se
única espécie que fala faz, é valorizar este frágil instrumento 7 imaginava então a possibilidade de um estatuto de direitos
de medição pelo qual a vida revela seu sentido. O ser humano
oponíveis ao próprio Estado. A formação da pólis foi
10 ou é moral, e julga tudo por um prisma moral, ou é apenas um
mecanismo inútil. precedida da formação de um território cultural. Este balizou
O liberalismo pensa estar defendendo o indivíduo 10 os limites da cidade grega. Sem garantia legal, os ?direitos
13 quando nega a primazia do social ou quando diz que uma humanos? padeciam de certa precariedade na estrutura
sociedade é apenas um conjunto de ambições autônomas.
política. O respeito a eles ficava na dependência da virtude e
O culto ao individualismo seria um culto à liberdade se não
16 elegesse como seu paradigma supremo a liberdade de lucrar, 13 da sabedoria dos governantes. Esta circunstância, porém, não
e como referência moral a moral do mercado. Se não fosse exclui a importante contribuição de culturas antigas na
apenas a última das muitas tentativas de substituir o ser criação da idéia de direitos humanos. Alguns autores
19 humano como a medida de tudo, e seu direito à vida e à 16 pretendem afirmar que a história dos direitos humanos
dignidade como o único direito a ser cultuado. Já tentaram
começou com o balizamento do poder do Estado pela lei.
rebaixar o homem a mero servo de uma ordem divina, a
22 autômato descartável de engrenagens industriais, a estatística Essa visão é errônea. Obscurece o legado de povos que não
sem identidade de regimes totalitários, e agora a uma 19 conheceram a técnica de limitação do poder, mas
comodidade entre outras comodidades, com nenhuma privilegiaram enormemente a pessoa humana nos seus
25 liberdade para escolher seu destino individual e o mundo em
costumes e instituições sociais.
que quer viver. Mas o indivíduo só é realmente um indivíduo
em uma sociedade igualitária, como só existirá liberdade real João Baptista Herkenhoff. Internet: 28 onde os valores neoliberais não prevalecerem. www.dhnet.org.br>. Acesso em fev./2006.

Luís Fernando Verissimo. Internet:
. Acesso em fev./2006.
Acerca do texto, julgue os itens subseqüentes.

Em relação ao texto, julgue os itens a seguir. \u0018 A relação sintática entre o período iniciado por ?Obscurece?
\u0013 As ocorrências de ?a?, às linhas 21, 22 e 23, são todas de (R.18) e o período anterior pode ser explicitada pela
artigos definidos empregados no singular feminino. conjunção Contudo.
\u0014 A substituição de ?se mede? (R.2) por é medida mantém a
\u0019 A expressão ?esse tipo de legislação? (R.5) refere-se à
correção gramatical e as informações originais do período.
legislação que não limitava o poder do Estado e não atribuía
\u0015 Antes da expressão ?é valorizar? (R.8), subentende-se a idéia
anterior ?enaltecer o senso moral do ser humano? (R.6-7). ao indivíduo direitos diante do Estado.

\u0016 O emprego da estrutura ao negar a primazia do social ou \u001a Pelos sentidos do texto, a relação sintática entre o período
ao dizer que, em substituição a ?quando nega a primazia do iniciado por ?O respeito? (R.12) e o período anterior pode ser
social ou quando diz que? (R.13), prejudica a correção explicitada por meio da expressão Apesar de o respeito.
gramatical do período e altera as informações originais do
texto. \u001b Infere-se das informações do texto que somente os povos
\u0017 Os vocábulos ?se? (R.15) e ?Se? (R.17) têm a mesma função que não limitavam o poder apresentaram uma herança de
condicional. respeito aos direitos da pessoa humana.


UnB / CESPE ? PCES / Nome do candidato: ?1?
Cargo 3: Médico-Legista É permitida a reprodução apenas para fins didáticos, desde que citada a fonte.




www.editorasanar.com.br

Provas relacionadas

Cargo Orgão Ano
Médico Legista Polícia Civil/ES 2013
Médico Legista Polícia Civil/ES 2010
Auxiliar de Perícia Médico-Legal Polícia Civil/ES 2010
Médico-Legista Polícia Civil/ES 2006
Auxiliar de Perícia Médico-Legal Polícia Civil/ES 2006