Desnutrição: Terapia Nutricional

Durante a terapia nutricional na desnutrição, recomenda-se um aumento médio de 500 a 1000 kcal. Na terapia nutricional enteral deve-se infundir 20 kcal/h no primeiro dia e aumentar o valor de forma gradativa, até que se atinja as necessidades nutricionais diárias. Deve-se ter muito cuidado com a realimentação dos pacientes desnutridos, pois quando a terapia nutricional é feita de forma agressiva, pode ocasionar a Síndrome da Realimentação, uma condição potencialmente letal na qual ocorre um desequilíbrio grave de eletrólitos, minerais fluidos corporais e vitaminas em conjunto com anormalidades metabólicas em pacientes realimentados por via oral, enteral ou parenteral. A principal deficiência vitamínica nessa síndrome é a deficiência de tiamina (vitamina B1), mas também é observada, com frequência, a deficiência de potássio, magnésio e fósforo.


Este conteúdo está bloqueado

Durante a terapia nutricional na desnutrição, recomenda-se um aumento médio de 500 a 1000 kcal. Na terapia nutricional enteral deve-se infundir 20 kcal/h no primeiro dia e aumentar o valor de forma gradativa, até que se atinja as necessidades nutricionais diárias. Deve-se ter muito cuidado com a realimentação dos pacientes desnutridos, pois quando a terapia nutricional é feita de forma agressiva, pode ocasionar a Síndrome da Realimentação, uma condição potencialmente letal na qual ocorre um desequilíbrio grave de eletrólitos, minerais fluidos corporais e vitaminas em conjunto com anormalidades metabólicas em pacientes realimentados por via oral, enteral ou parenteral. A principal deficiência vitamínica nessa síndrome é a deficiência de tiamina (vitamina B1), mas também é observada, com frequência, a deficiência de potássio, magnésio e fósforo.


Esse conteúdo faz parte do capítulo Desnutrição E Carências Nutricionais do livro Nutrição Clínica para Concursos e Residências

Esse conteúdo faz parte de nosso livro:
Nutrição Clínica para Concursos e Residências